A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
 
 
  A ................ ....... ..... .... ... .. . ..
 


ALCEAMENTO
Arranjo de folhas ou cadernos na seqüência adequada para que as páginas fiquem na ordem correta antes da encadernação.

ALIASING (jaggies)
Excesso de contraste entre pixels vizinhos de uma imagem; o mesmo que serrilhado.

ALL-TYPE
Anúncio de jornal ou revista,outdoor ou qualquer outro tipo de material impresso apenas com frases escritas,sem nenhum tipo de ilustração.

ALTAS LUZES (highlights)
Áreas mais claras de uma imagem.

ALTO-CONTRASTE
Efeito empregado em fotografia (estática ou cinematográfica) para eliminar os meios-tons, deixando apenas os contornos em preto e branco ou nas cores dominantes.

AMPLIAÇÃO
Procedimento fotográfico no qual as dimensões da imagem final são maiores do que as do original.

ANER
Associação Brasileira de Editores de Revistas - entidade que congrega as principais editoras de revistas do país.

ÂNGULO DA TRAMA
Ângulo segundo o qual cada trama é disposta para evitar o efeito moiré em impressão.

ÂNGULO DE RETÍCULA
Ângulo no qual as retículas são posicionadas em relação às outras.

ANJ
Associação Nacional de Jornais - entidade que congrega os principais jornais do país.

ANSI (Character Set)
Conjunto de 256 caracteres definidos pelo American National Standards institute, cujos primeiros 128 são em ASCII.

ANTI-ALIASING (suavização de serrilhado)
Técnica de tornar uma transição de cor em um bitmap menos abrupta, diminuindo o serrilhado. Surgem valores de pixels intermediários na área de contato entre as cores contrastantes, dando a impressão visual de maior resolução. Como isso limitação o contraste entre pixels vizinhos, também há a sensação de ligeira perda de foco nos detalhes. O anti-aliasing de fontes em bitmaps é produzido interpolando para baixo (em geral, para metade do tamanho) o desenho das letras.

ANTIQUA
Tradução alemã para os tipos classificados como Romanos.

ANVERSO
1. Branco ou frente da folha que se imprime com a primeira chapa.
2. O mesmo que frontispício

APARA
Sobra de papel cortado pela guilhotina por exceder a linha de corte de um trabalho impresso.

ARQUIVO ABERTO
1. Termo utilizado para arquivos de computador em formato nativo do programa utilizado para criação do trabalho. Ex.: .CDR, .PM6, .AI, .PSD etc.
2. Arquivo salvo no próprio programa criado como por exemplo arquivos de PageMaker/InDesigner, QuarkXpress, Illustrator ou CorelDRAW.

ARQUIVO FECHADO
1. Termo utilizado para arquivos de computador em formato nativo da impressora onde este será impresso. Ex.: PS, PRN, PDF etc.
2. Arquivo salvo para uma impressora PostScript com todas as configurações de saída de filme, lineatura etc.

ARTE
Conjunto das atividades relacionadas à apresentação gráfico-visual de anúncios, publicações diversas. Logotipos, etc... já em uma agência de P.P., diz-se da atividade, setor, ou departamento ou conjunto de profissionais encarregados de executar rafes, layouts, ilustrações, montagens, artes-finais, etc... para a produção de peças propaganda impressa a partir do desenvolvimento de idéias apresentadas elo setor de criação.
Qualquer original, preparado por um artista, fotógrafo ou qualquer meio mecânico. Livremente falando, qualquer original a ser reproduzido.

ARTE-FINAL
Ilustração em sua forma definitiva,seja ela de desenhos,simbolos ou letras.

ASCENDENTE
Parte de certas letras de caixa baixa que se estende acima do "x-height" de um alfabeto, nas letras d, b, f, h, k, l, t. (V. Descendente)

ASCII (Character Set)
A grande maioria das fontes é baseada no "American Standard Code for Information Interchange" (ASCII), que é limitado a 128 caracteres, mas que pode ser estendido até aos 256 (V. ANSI).

ATM - (Adobe Type Manager)

1. Aplicação informática responsável pelo tecnologia de "anti-aliasing" das letras definidas pelo contorno ("outline"), melhorando a qualidade das fontes no tela. No entanto, ainda necessita, além do arquivo da fonte em contorno ("PostScript"), de pelo menos um arquivo em "bitmap".
2. Software que melhora a representação visual das fontes na tela e tem a função opcional de gerenciar as fontes instaladas.

AUTOFLOW
Fluxo automático de texto. Um recurso de alguns programas de editoração em que a colocação dos textos é feita automaticamente, sem intervenção do operador, de uma página para outra, segundo a orientação das colunas na publicação.

AUTOTRACE
Técnica de criar uma ilustração vetorial tendo como referência uma imagem bitmap. O Macromedia FreeHand tem esse recurso embutido. Há programas específicos para isso: CorelTrace e Adobe Streamline. O Illustrator CS2 traz integrada esta função, assim como o Xara Xtreme.



 
 
  B ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

BACALHAU
Emenda ou retoque feito em layout, arte-final ou fotolito, com objetivo de corrigir um defeito.

BADANA
Extensão das capas ou sobrecapas de um livro que se dobram para o interior.

BARRA
Traço horizontal nas letras A, H e T, por exemplo.

BASELINE
Linha imaginária que constitui a base da letra.

BANNER
É um espaço reservado para os anúncios nos sites. Um banner corresponde a uma imagem ou a uma animação contendo mensagens publicitárias. Os banners são, sem dúvida, o formato de propaganda mais utilizado na Internet. O objetivo principal de um banner é fazer com que a pessoa clique nele e obtenha mais informações relacionadas ao produto ou serviço anunciado.

BATER ESQUADRO
Operação de alinhamento das laterais da pilha de papel, em geral feita com auxílio de equipamento mecânico.

BENDAY
Aplicação de retícula no fundo ou em partes de um trabalho gráfico para dar uma tonalidade cinza ( nos casos das peças em preto - e - branco) ou colorida. Também pode ser usada sobre letras ou ilustrações,para dar o mesmo efeito (de cinza ou colorido).Pode ser lisa ou com desenhos. Pode ser aplicada em percentagens de 5 a 95%.

BÉZIER
Um tipo de curva utilizada pelos programas de desenho/CAD e também para definir de que forma são feitas as curvas de uma letra ou fonte. A curva é estabelecida por determinados pontos que controlam como ela deve se comportar.

BICOLOR
Equipamento de impessão capaz de imprimir duas cores em cada entrada ou passagem; trabalho impresso com uso de duas cores.

BISAGRA
Parte flexível entre as duas laterais e a lombada da capa do livro.

BIT DEPTH OU PROFUNDICADE DE COR
Se refere à cor ou escala de cinza de um pixel individual. Um pixel com 8 bits por cor dá uma imagem de 24bits. (8 bits X 3 cores são 24 bits.)

BITMAP
O método de armazenar informação que traça um pixel de imagem, bit a bit. Há muitos arquivos no formato de bitmap: .tiff, .tif, .jpeg, .jpg, .psd, .cpt, .rif, .raw, .bmp, .pict, .pict-2, .gif, . png, etc. A maioria arquivos de imagem são no formato de bitmaps. Este tipo de arquivo dá o serrilhado (jaggies), quando examinado de perto, você pode ver a linha de pixels que cria os contornos. Imagens em bitmap são usadas por todos computadores. O desktop, ou a informação de tela de todas as máquinas Windows usam arquivos "bmp", enquanto o Macintosh usa arquivos "pict".

BLACK AND WHITE
(B & W) Preto - e - Branco,em inglês.

BLEED
Ver Sangria.

BLEND
Repetir um item, tantas vezes intermediárias quanto se queira, no espaço que o separa de outro item com as mesmas características. Se os dois são idênticos, as repetições intermediárias serão cópias exatas de ambos. Se há diferença entre eles, as repetições intermediárias serão etapas da transformação de um em outro, tanto das formas quanto da cor.

BLOW UP
Técnica Fotográfica, que consiste em ampliar o detalhe de uma fotografia.

BLUR (Desfoque)
Filtro digital que borra (desfoca, embaça) os detalhes.

BOBINA
Rolo contendo uma tira contínua de papel; em artes gráficas, elas destinam-se às máquinas rotativas.

BOLD
Grosso ou espesso em inglês. Termo utilizado para definir uma letra mais grossa que o normal.

BONECA OU BONECO
Simulaçao de tamanho exato de livro, revista ou outro produto similar; suas páginas podem conter imagens ou vir em branco.

BOTTOM
Medalhão, geralmente de plástico, com símbolo e frases sobre determinada marca,muito usado em promoções para identificar pessoas ou ser distribuido como brinde.

BOX
Espaço determinado no projeto para a alocação de algum elemento gráfico (texto, co, imagem fotográfica, ilustração etc.); também pode ser chamado de caixa.

BOUNDING BOX (Caixa de Contorno)
Em softwares de ilustração e paginação, é uma caixa retangular que surge sobre um objeto selecionado; é formada por quatro ou oito pontos de controle que são manipulados para distorcer, mover, girar etc. Alguns problemas em arquivos fechados (rotação e corte irregular) podem ser resolvidos alterando-se os valores numéricos associados a esses pontos de controle.

BRAND
Marca,em inglês.

BROADSHEET
Jornal com a dimensão tradicional, isto é, formato grande com dimensões aproximadas de 37´57cm.

BROADSIDE
Folheto especialmente dirigido aos públicos internos (vendedores,funcionários) e intermediários (distribuidores varejistas) de uma empresa,geralmente explicando como será uma campanha de propaganda e/ou promoção.

BROCHURA
Encadernação simples, na qual os cadernos são cosidos ou colados na lombada de uma capa mole.

BROMOURO
Cópia fotográfica em preto e branco de cromo ampliado para ser colada no paste - up e indicar a ampliação necessária e os cortes corretos a serem feitos no fotolito ou rotofilme.

BROWSER
Programa que permite aos utilizadores aceder a documentos na World Wide Web (Internet)podendo ser de texto e/ou gráficos. Internet Explorer, FireFox ou Netscape Navigator, são alguns exemplos dos mesmos.

BUILT-IN FONTS
São as fontes residentes na impressora. No entanto, ao utilizar fontes não residentes, estas são automaticamente enviadas para a memória da impressora, de modo a serem utilizadas.

BULLET
Caractere utilizado para destacar itens em um texto ou uma lista. Na maioria das fontes, é uma bolinha (o).

BUREAU
(Birô)
Escritório em francês.1. Empresa especializada em tarefas de editoração eletrônica,incluindo partes ou todo processo de produção de artes,diagramação e pré - impressão.2. Na área de mídia,a empresa dedicada exclusivamente à compra e venda de espaços publicitários.

 

 
 
  C ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


CAD
Sigla de Computer-Assisted Design ou Drafting. A tecnologia usada para desenhar com precisão em aplicações para engenharia, arquitetura e indústria.

CABEÇA
Parte superior da pagina, podendo conter alguma informação.
Denominado ''header'' em inglês.

CADERNO
Subdivisão de uma publicação para a impressão. Esta revista, por exemplo, é composta de um miolo formado de cinco cadernos, mais a capa. Cada caderno corresponde a uma folha de impressão de offset plana com quatro (ou um múltiplo de quatro) páginas de cada lado.

CADERNO REGIONAL
Suplemento publicitário ( com ou sem adição de material editorial) das revistas e jornais nacionais veiculado em regiões específicas.

CAIXA ALTA (CA)
Letra maiúscula ou texto escrito todo em letras maiúsculas.

CAIXA ALTA E BAIXA (CAb)
Texto escrito em letras maiúsculas e minúsculas.

CAIXA BAIXA (Cb)
Letra minúscula ou texto escrito todo em letras minusculas.

CALÇO
Em CMYK, é o reforço deliberado da tinta preta com alguma das outras tintas, para melhorar sua reprodução. Normalmente o calço do preto é feito com um pouco de ciano.

CALHA (Gutter)
Espaço em branco entre duas colunas dentro de uma página, ou o espaço em branco entre as manchas de duas páginas adjacentes numa publicação.

CALHAU
Anúncio ou comercial colocado no lugar de um espaço não - comercializado, que irá ficar em branco. Geralmente, os veículos colocam suas próprias mensagens, peças comunitárias ou de utilidade pública.

CAPA
Parte que envolve os diferentes cadernos do livro ou brochura, já ordenados e constituindo o seu miolo.

CAPITAL
Letra maiúscula.

CAPITULAR
Caracter em caixa alta, utilizado no início de um texto, sendo de corpo superior ao do texto.

CANAL (Channel)
Em bitmaps, é a informação relativa a cada uma das cores primárias. Por exemplo, o espaço de cor RGB tem os canais R, G e B, e o CMYK tem os canais C, M, Y e K.

CANAL ALFA(alpha channel)
Em bitmaps, é um canal adicional, invisível na imagem final, que usualmente é empregado para armazenar o recorte de transparência da imagem ou máscaras de seleções. Os formatos PSD (Photoshop), CPT (CorelPhotoPaint), RIF (CorelPainter) aceitam canais alfa.

CARACTERE
Símbolo que compõe uma tabela de codificação digital de arquivos (como a ASCII) ou fonte.

CARTAZ
1. Qualquer mensagem publicitária gráfica impressa em papel ou pintada diretamente sobre madeira,metal ou outro material.
2. Unidade padrão do meio outdoor.

CARTAZETE
Tipo de cartaz,de pequenas dimensões,geralmente utilizado no ponto -de-venda ( supermercado,bares,lojas etc)

CCD
Charged Coupled Device (Dispositivo de Acoplamento de Carga), um chip sensível a luz usado para captura de imagem. Na condição normal estes dispositivos capturam tons de cinza. Para captarem cor, são usadas duas formas, básicas, conforme o tipo ultilizado. Em cameras compactas e backs "one shot" se usa o CCD "array", de matriz de filtros coloridos. Nos backs "three shot" é dada uma exposição para cada cor, alternado-se os filtros.

Nos CCD com matriz cor a cor é colocada na frente dos sensores de pixels uma máscara RGBG . (Vermelho, Verde, Azul, e Verde) O Verde extra é usado para criar contraste na imagem a ser captada. Os Pixels do CCD juntam a cor da luz e passam para o registro de troca para armazenamento.

CCD são sensores analógicos, a digitalização acontece quando os elétrons passam por um conversor de A \ D. Os conversores A\D convertem o sinal analógico em arquivo ou sinal digital .

CENTIMETRAGEM
Tamanho de um anuncio de jornal,definido quantos centimetros/coluna.

CENTIMETRO/COLUNA
Espaço - padrão de um jornal, ou seja , um centimetro de comprimento por uma coluna de largura.

CHAPADO
Trabalho gráfico com fundo uniforme de uma única cor.

CHECK - LIST
Enumeração do conjunto de acções a desenvolver por forma a atingir determinado objectivo com a máxima eficiência.

CHECKING
Conferindo em inglês.Trabalho de conferência da efetividade da veiculação das mensagens autorizadas, incluindo a qualidade de impressão ou transmissão e a precisão de horário ou posição.

CIANO
A primeira letra da sigla CMYK: quadricromia, cor azulada

CÍCERO
Unidade de medida equivalente a 12 pontos (sistema Didot) ou seja, 4,512 mm.

CICLO DE VIDA
Termo utilizado para definir os periodos da vida de um produto, que começa com seu lançamento, passa pelo seu crescimento, sustentação, declinio e - muitas vezes - reciclagem.

CINTA
Tira de papel que se coloca envolvendo a capa do livro, com informação adicional.


CIRCULAÇÃO
Número de exemplares efectivamente colocados no mercado, isto é, corresponde à soma das vendas, assinaturas e ofertas (circulação = tiragem - sobras)

CIRCULAÇÃO CONTROLADA
Total da circulação gratuita dirigida a determinados segmentos da população ou grupos profissionais.

CIRCULAÇÃO DIRIGIDA
O mesmo que Circulação Controlada

CIRCULAÇÃO PAGA
Total da circulação efetivamente paga pelos leitores, através de assinaturas ou compra em bancas.

CHAPA DE IMPRESSÃO
Folha de metal gravada com a matriz das páginas do caderno a ser impresso.

CHAPADO
Na impressão, refere-se a áreas que são completamente cobertas com tinta ou áreas que imprimem 100% de uma determinada cor.

CLASSIFICADOS
Tipo de anúncio, geralmente de pequenas dimensões, publicados pelos jornais ( e algumas revistas) agrupados por área de interesse ( aluguel e venda imóveis, empregos, venda de automóveis etc.)

CLICHÊ
Placa de impressão de metal (zinco, ferro galvanizado), nylon ou plástico, com uma imagem ou texto gravada em relevo. É destinada à impressão em máquina tipográfica. Melhor definição: um carimbo gigante.

CLIP ART
Ilustração previamente preparada para ser empregada, em sua forma original ou modificada, em aplicações diversas (geralmente infografia). Os principais programas de ilustração costumam vir com bibliotecas de clip art gratuitas.

CLIPPING
Coleção de material impresso, de rádio ou TV com notícias sobre determinado assunto,empresa,pessoa ou marca.

CLIPPING PATH
Em um programa de desenho, significa o outline utilizado para selecionar uma porção de um objeto ou imagem que irá ser manipulado ou preenchido com determinado padrão ou cor.

CLOSE
Abreviação usual de Close Up. Fotografia ou tomada videocinematográfica em grande detalhe de um objeto, situação ou pessoa.

CMYK
Espaço de cor cujas cores primárias são C (Cyan, ciano), M (Magenta) e Y (Yellow, amarelo), mais o canal adicional K (preto). É o mais usado em impressos de papel. As cores da quadricromia.

COAT (Revestimento)
Diz-se de todo material depositado sobre uma superfície (verniz, tinta etc), para melhorar a qualidade de impressão.

COLOFÃO
Inscrição que pode estar no fim ou início do livro e que contém a informação sobre título, autor, editor, gráfico, tipografia, local e data de impressão, entre outros.

COLORSYNC
Software de gerenciamento de cor, desenvolvido pela Apple, que garante a consistência visual das cores entre os vários dispositivos de imagem: monitores, scanners, impressoras. Para cada dispositivo é gerado um perfil ICC, documento que contém uma descrição da maneira como ele faz a representação das cores. Quando
o arquivo é transferido entre dispositivos (por exemplo, da tela para a impressora), o ColorSync traduz as cores de acordo com as informações contidas nos respectivos perfis ICC.

COLUNA
Espaço em que se divide verticalmente a grelha de composição de uma página. o espaço entre as colunas é chamado goteira.

COMPOSIÇÃO
Texto de anúncio, cartaz ou outro material gráfico composto na sua forma final (no tipo, corpo e medidas definidas) e pronto para montar o paste-up. (Ver Tipo, Corpo, Paste-Up e Fotocomposição.)

COMPOSITE
Arquivo que represesenta páginas coloridas que contém figuras especificadas em termos de vermelho, verde e azul (RGB - Red, Green e Blue) ou Cian, Magenta Aamarelo e Preto (CMYK - Cyan, Magenta, Yellow e Black) em oposição a página que representam separações em níveis de cinza em preto e branco.

COMPRESSÃO
Processo de compactar dados digitais, imagens e texto. Algoritmos de software varrem a imagem raster para compactar arquivos (de uma perspectiva de armazenamento de arquivo). O fator de compressão depende muito da qualidade da imagem e da densidade da informação. Existem duas formas básicas de compressão em imagem, com ou sem perda de informação (qualidade de imagem). O padrão de compressão LZW usado em TIFF e GIF não tem perda, enquanto nos JPEG existe perda de informação.

COMPRESSÃO TONAL
Técnica utilizada em colorimetria para transformar as cores que estão fora do gamut de um equipamento por cores que poderão ser reproduzidas.

CONDENSADO
Estilo de tipo em que a sua largura é menor do que no tipo normal. Pode ser produzido através dos recursos dos programas de editoração eletrônica, ou serem parte de uma família de tipos. (Por exemplo, Helvética Compressed).

CONEXÃO
Ligação entre computadores feita a distância que permite a comunicação de dados entre ambos.

CONTATO
Cópia fotográfica feita a partir do contato do negativo com o papel fotográfico, ao invés de se utilizar um projetor para ampliações ou reduções.

CONTA-FIO
Uma lente de aumento, serve para examinar a qualidade dos pontos meio-tom.

COPIÃO
Primeira seleção montada das cenas - filmadas - de um comercial,para análise e decisão final sobre a montagem ou edição.

COPY
Texto em inglês. Termo utilizado para definir o texto de uma peça publicitária.

COPYDOT
Processo de digitalização dos filmes/chapas de um trabalho já impresso, gerando um arquivo que é cópia fiel dos pontos existentes para cada uma das chapas. Normalmente é gerado um arquivo DCS com a quantidade de plates (canais) necessários para a reimpressão, e estes são armazenados em formato bitmap de 1 bit de profundidade de cor. Alguns equipamentos permitem a alteração/edição desses arquivos após digitalizados, porém ainda com ferramentas muito rústicas e longe das facilidades disponíveis no tratamento de imagens.

COPYRIGHT

Direito exclusivo de reproduzir por qualquer meio material, publicar ou vender obra literária, artística, técnica ou científica. O copyright é um direito desfrutado pelo autor ou seus descendentes, mas pode ser negociado ou cedido a um editor ou a qualquer outro beneficiário. Abrevia-se com o símbolo ©, ao qual se seguem o nome do beneficiário e a indicação do ano da primeira edição.

COR ESPECIAL
Tinta de cor diferente das cores de impressão básicas. Pode ser obtida com as misturas das tintas de impressão. Ex.: Pantone 485C, Ouro, Prata.

CORES PRIMÁRIAS ADITIVAS
Cores fundamentais da luz visível pelo olho humano (vermelho, verde e azul). Correspondem às cores básicas que, quando sobrepostas (processo aditivo), formam a luz branca. A mistura dessas cores duas a duas resulta nas cores secundárias aditivas (vermelho + verde = amarelo, vermelho + azul = magenta, verde + azul = ciano). São em RGB as imagens mostradas por equipamentos que emitem luz própria, como o CRT (tubo de raios catódicos) ou o LCD (cristal líquido); ou seja, monitores e aparelhos de TV.

CORES PRIMÁRIAS SUBTRATIVAS
Cores fundamentais dos sistemas de impressão e métodos de produção de imagem que utilizam tintas. São: ciano (azul turquesa), magenta (cor de rosa) e amarelo. As tintas funcionam como filtros que subtraem da luz branca certas cores e refletem suas cores complementares. As cores que observamos são as restantes desse processo. Prova disso é que, sem a luz, não enxergamos a cor do objeto. A mistura das cores primárias subtrativas, duas a duas, resulta nas cores secundárias subtrativas (magenta+ciano=azul, magenta+amarelo=vermelho, amarelo+ciano=verde). As cores primárias subtrativas são as secundárias aditivas, e as cores secundárias subtrativas são as primárias aditivas. O trio ciano+magenta+amarelo deveria sozinho reproduzir todas as cores subtrativas, mas misturas totais das três tintas não produzem o preto, além de sobrecarregarem a impressora. Por isso, existe uma quarta tinta de impressão, a preta, que substitui parcialmente as outras três nos tons mais escuros.

CORPO
Em termos gráficos, o tamanho da letra que é utilizada na composição dos textos, medido em pontos.

CORREÇÃO DE CORES
Método manual ou eletrônico para melhorar (ou estragar) a formação de cores em uma imagem digital, na impressão etc. Exemplos: ganho de ponto, máscaras de ajuste e realce, retículas etc.

COUCHÉ (Termo frncês) CUCHÊ (Aportuguesado)
1. Tipo de papel, coberto por uma fina camada de gesso, indicado para impressos de boa qualidade.
2. Tipo de papel que contém gesso em sua massa, com textura muito fina. Pode ser brilhante, semibrilho ou opaco.

CPM
Ver Custo por Mil.

CRIAÇÃO
A dupla de criação - redator e diretor de arte trabalhando em conjunto é a célula dos departamentos de criação. Ao receber o briefing do atendimento, a criação inicia o seu trabalho. Muitas vezes o pessoal de dia, pesquisa e atendimento participa do processo de brainstorming. Primeiro, relaciona-se toda e qualquer idéia sugerida, sem nenhuma preparação em avaliar a sua adequação. Em uma segunda etapa, faz-se a seleção escolhendo-se as opções que melhor se enquadram dentro do briefing. Esta avaliação de idéias, é importante verificar se elas podem ter vida longa, transformando-se em filão de campanhas, ou se não permitem um desenvolvimento para continuidade, esgotando-se em si mesmas. Dentro do departamento de Criação, podem-se distinguir vários setores e cargos: Diretor Geral de Criação - Tudo o que é criado passa por ele antes de sair do departamento. Além da função técnica, faz também a administração do seu departamento. Dupla de Criação - São aqueles que realmente fazem a campanha. É composta pelo redator

CROMALIN
Prova de alta qualidade para materiais em fotolito. Utiliza uma base laminada fotossensível que, após exposição à luz protegida pelo fotolito, mantém áreas de cola (onde não houve exposição) em ação para receber um pó pigmentado conforme a tinta de impressão correspondente. Esse processo repete-se para cada cor e é finalizado com uma camada protetora brilhante.

CROMO
Fotografia em cores em positivo (tipo dispositivo) de alta qualidade técnica para ser reproduzida em anúncios, cartazes e outros materiais gráficos. É mais utilizado que o negativo na fotografia profissional.

CROPAR (Crop termo em inglês)
Ato de cortar parte de uma fotografia ou ilustração de forma que ela se encaixe em uma área pré-determinada ou fique com um enquadramento desejado.

CUPONAGEM
Técnicas de comercialização de produtos ou serviços através da veinculação de anúncios ou encartes nos quais é inserido um cupom, de modo a ser resposta direta do consumidor.

CURSIVO
Estilo de tipo imitando um manuscrito, com os caracteres conectados uns aos outros por ligaturas.

CUSTO
1.Valor de qualquer espaço, trabalho de produção, material e projeto publicitário. 2.Valor em dinheiro da unidade de espaço (página, centimetro/coluna, cartaz, segundos, etc.) comercializada pelo veículo.



 
 
  D ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

DCS (Desktop Color Separation)
Uma opção para salvar arquivos EPS previamente separados, pela qual são gerados cinco arquivos para cada imagem em CMYK. Cada um dos arquivos adicionais corresponde a uma das cores primárias: ciano (extensão .C), magenta (extensão .M), amarelo (extensão .Y) e preto (extensão .K). O quinto arquivo retém o nome original e leva a extensão .EPS. Esse arquivo é de baixa resolução e é utilizado somente para a prismagem no programa de paginação. Na hora do fechamento do arquivo, o que o programa imprime são os quatro arquivos de separação da imagem. Ferramentas digitais para a criação de publicações impressas em computadores pessoais - em contraste à editoração tradicional com equipamentos de fotomecânica, muito mais cara e complexa.

DEADLINE
Prazo limite ou final, em inglês. Utilizado para definir o prazo máximo para a realização de qualquer tarefa publicitária.

DESENHOS VETORIAIS (curvas)
A descrição geométrica de uma figura por meio de coordenadas de pontos e curvas (vetores). Freehand, Ilustrator, CorelDraw, Xara são programas vetoriais.

DENSIDADE
1. Medida do grau de escurecimento do filme, papel fotográfico ou tinta impressa.
2. Quantidade relativa de luz que atravessa uma área de um filme ou que é refletida por uma área de uma imagem em suporte opaco.

DENSITÔMETRO
1. Instrumento de controle usado para medir a densidade óptica em cromos e opacos. O densitômetro de reflexão mede a quantidade de luz refletida; o densitômetro de transmissão analisa a quantidade de luz que atravessa o suporte transparente.
2. Instrumento eletrônico de controle de processo utilizado para medir a densidade óptica de transparências positivas e negativas , chapas e de reproduções impressas.

DESCENDENTE
Parte de certas letras de caixa baixa que se estende abaixo da "baseline" de um alfabeto, nas letras g, j, p, q, y. (V. ascendente)

DESIGN
Ou desenho industrial é a especialidade profissional voltada para o projeto e desenvolvimento de produtos manufaturados, com ênfase nas características de uso e/ou perceptivas dos objetos. A técnica do desenho industrial considera os materiais utilizáveis, os meios de produção, as embalagens etc, tendo em vista não apenas as necessidades de produção em massa, mas também os aspectos funcional e estético.

DETERMINADO
Espaço publicitário determinado (o veículo deve publicar o anúncio ou veicular o comercial exatamente no espaço definido pelo anunciante).

DIAGRAMAÇÃO
1.Divisão e ordenação do espaço de uma página,cartaz ou outra peça gráfica entre imagens e textos.
2.Ordem da publicação de matérias e anúncios em uma revista ou jornal.

DIAGRAMADOR
Profissional que faz a diagramação.(Ver Diagramação.)

DIÁRIO
1.Jornal que circula diariamente.2.Em pesquisa,caderno em que a pessoa pesquisada de forma continua faz as anotações a respeito do que está sendo pedido (como hábito de consumo de mídia,de produtos etc.)

DIFUSÃO
Número de exemplares de uma certa publicação que são vendidos pelos diferentes canais possíveis.

DIRECT TO PLATE ou COMPUTER TO PLATE (CTP)
método de impressão que dispensa fotolito. A imagem a ser reproduzida é aplicada diretamente sobre a chapa de impressão.

DIRETOR DE ARTE
Profissional de criação especializado em desenvolver a parte visual e gráfica das peças publicitárias, responsável por desenvolver e coordenar a execução gráfica dos trabalhos. Deve conhecer todos os procedimentos gráficos, desde a concepção até a finalização.

DIRETOR DE FOTOGRAFIA
Em produção, denominação do fotógrafo do comercial.

DIRETOR DE PRODUÇÃO
Em produção, denominação do profissional encarregado da direção-eral da parte de produção.

DISPLAY
Peça Promocional e de merchandising que exibe uma mensagem e um produto no ponto-de-venda.Peça de propaganda ou promoção de vendas, impressa sobre cartão ou papelão ondulado, exibida em pontos-de-venda (balcões, vitrinas, prateleiras) para chamar a atenção do consumidor.

DITHERING (simulação ou pontilhado)
Algoritmo matemático que simula níveis intermediários em imagens e profundidade de cor de 1 bit (só preto e branco) ou em dispositivos de saída que não geram meios-tons, como as cabeças de impressão de impressoras de jato de tinta. O dither é um padrão aparentemente aleatório de pontos que, visto de longe, cria a ilusão de tons intermediários. A impressora mencionada cria o dither automaticamente ao imprimir; programas como o Photoshop podem criá-lo diretamente na imagem digital.

DOWNLOAD
Ato de "baixar" e carregar um programa, ou seja, fazer a ransferência de arquivos de um computador remoto para seu computador através da rede.

DPI (Dots Per Inch)
1. Pontos por polegada. Unidade de medida de resolução.
2. Refere-se ao número de pontos por polegada (dpi, dots per inch). Quanto maior for o número de dpi, ou resolução, mais fiel ou melhor será a qualidade da impressão. O nível de resolução pode dizer a respeito ao que se vê também na tela. Um monitor com alta resolução exibe imagens de maior acuidade visual. Uma impressora laser normalmente trabalha com 300 dpi. Existem algumas que vão acima dessa resolução. Um equipamento fotocompositor geralmente trabalha com 1.270 dpi, mas pode chegar a números superiores a 3.000 dpi, prestando-se a serviços de separação de cores, por exemplo.

DRAFT
O mesmo que rascunho.

DRIVER DA IMPRESSORA
Programa de computador que contém as informações básicas para que um determinado aplicativo consiga imprimir um arquivo. Cada tipo de impressora normalmente necessita de um driver próprio.

DSLR (Digital single-lens refles camera)
Câmera digital que utiliza um sistema automático de espelhos e um pentaprima para enviar a imagem da objetiva para o visor na parte posterior.

DTP (DeskTop Publishing ou editoração eletrônica)
Ferramentas digitais para a criação de publicações impressas em computadores pessoais - em contraste à editoração tradicional com equipamentos de fotomecânica, muito mais cara e complexa. O DTP começou oficialmente em 1985, com a confluência de quatro tecnologias: computador Macintosh; impressora laser; fontes e linguagem de impressão Adobe PostScript; e o programa de paginação Aldus (depois Adobe) PageMaker. Juntaram-se à categoria outros programas de paginação, como o QuarkXPress e o substituto do Pagemaker para aplicações editoriais, o Adobe InDesign; programas de edição de imagem, como o Adobe Photoshop; programas de ilustração vetorial, como o Macromedia FreeHand, CorelDRAW, Adobe Illustrator e Canvas; e vários acessórios de hardware - scanners, diversos outros tipos de impressoras, imagesetters etc. Atualmente, a categoria DTP inclui também equipamentos de impressão Direct-to-Plate/Printer (direto para a chapa/impressão).

DUPLA
1.Conjunto de um diretor de arte e um redator que trabalham juntos para desenvolver peças publicitárias e promocionais.Unidade básica da criação de uma agência.Às vezes,pode haver o trabalho conjunto de mais elementos de uma área ou outra e o auxílio do diretor e do compositor.(Ver Criação,Compositor,Diretor,Diretor de Arte e Redator.)
2.Abreviação de Página Dupla.

DYE-SUBLIMATION
Sublimação de cores. Usada em impressoras coloridas, que imprimem em tom contínuo, semelhante a uma fotografia. Serve também como prova digital da editoração eletrônica, sem que se tenha a saída de filme.


 
 
  E ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

EDITORA
Empresa que edita revistas ou jornais.

EGÍPCIO
Classificação dos alfabetos cuja característica é terem hastes uniformes e serifas retangulares e de aspecto pesado.

EMEBEDED FONTS
Fontes que são distribuídas junto de um documento "portátil", mas que não são acessíveis para utilização fora dessa mesma visualização.

EMULSÃO
Em um filme fotográfico, é uma suspensão em gelatina de sais de prata sensíveis à luz. O tamanho e a densidade dos cristais desses sais de prata na emulsão são relacionados diretamente com o fator de granulação/ sensibilidade do filme.

ENCAIXE
1. Em mídia,disponibilidade de tempo ou espaço em um veiculo.
2.Em direção de arte,espaço aberto em um texto para colocar a ilustração,ou vice-versa.
3.Em artes gráficas, técnica de justapor dois ou mais cromos em uma matriz(fotolito,rotofilme etc.).
4. Ato de preencher uma janela com anúncio ou comercial.(Ver Cromo, Fotolito, Janela e Rotofilme.)

ENCALHE
Diferença entre a circulação e a tiragem de um veículo impresso,que é devolvida pelas bancas e distribuidores às editoras.(Ver Circulação e Tiragem.)

ENCARTE
Peça publicitária gráfica encartada em jornal e revista,no formato do veículo ou não.Serve para dar visibilidade à mensagem,ser destacada pelo consumidor ou para atingir segmentos geográficos e de mercado.

ENTRELINHA (Leading)
Distância que vai desde a base de uma linha de texto até a base da linha seguinte. O termo vem dos tempos dos tipos de chumbo e se refere à chapa de chumbo (lead) que fazia o espaçamento.

EPS (Encapsulated Postscript)
um padrão de arquivo de computador criado pela Adobe para impressoras que são a definição matemática de formas, linhas, cor e espaço. Este é um dos modos mais precisos para descrever uma fonte ou imagem, mas cria tamanho de arquivo grande. O formato EPS também arquiva informação de descrição de página para arquivo. Usado em todos os computadores, nem todos os arquivos Post Script são iguais, nem compatíveis entre programas.

ESCALA DE CORES
Em artes gráficas, as provas de cada uma das cores(geralmente quatro) de uma matriz para impressão.Serve para que o impressor possa controlar a impressão de cada cor de modo a atingir um bom resultado final.

ESCALA DE GRIS
Tabela das tonalidades de cinza possíveis entre o branco e o preto de determinado processo de impressão ou de reprodução fotográfica.

ESCALA CROMÁTICA
Amostra de cores impressa por gradação de tonalidade, normalmente em diversos tipos de suportes, com as cores mais comuns. Serve para comparação em trabalhos policrômicos.

ESCALA DE CORES
Tabela impressa que contém as diversas combinações de tonalidades de cor.

ESCALA EUROPA
Designação da escala resultante das combinações entre as cores primárias de impressão (ciano, amarelomagenta e ) e o preto.

ESCANEAR
Neologismo que, em lingua portuguesa, é originário do verbo inglês to scan, significa passar uma imagem de meio físico para digital com o auxílio de aparelho de captura de imagens.

ESPACEJAMENTO
Em artes gráficas,espaço entre as letras de um título ou texto.

ESPAÇO DE COR
Na manipulação digital de imagens, é cada um dos vários métodos de codificação de cores. Existem espaços de cor com uma só variável (Grayscale), duas (Duotone), três (RGB, Lab, HSB, HSL, HLV), quatro (CMYK) e outros ainda. O gamut de cada espaço de cor depende da definição de suas variáveis: comprimentos de onda fixos no RGB, pigmentos padronizados no CMYK, cores específicas no Duotone, características diversas da luz em HSB, HSL e HLV.

ESPAÇO EME
Espaço correspondente ao comprimento da letra M da fonte utilizada no momento.

ESPAÇO ENE
Espaço correspondente à metade do comprimento da letra M da fonte utilizada no momento. Originalmente era o mesmo que a largura da letra N, daí o nome.

ESPECTOFOTOMETRO
Instrumento utilizado para medir a intensidade relativa de radiações de todo o espectro refletido ou transmitido por uma amostra impressa. Após a medição, é feita uma conversão da leitura para os valores colorimétricos CIELab.

ESPELHADO
Em mídia,designa anúncio em uma página anterior ou posterior a outra que também tem uma mensagem publicitária.

ESPELHO
Esquema de diagramação de uma publicação, traçado básico de página de livro ou publicação periódica que seve de base para a sua paginação. (ver Diagramação.)

ESPESSURA
Distância entre as faces do papel. Para papéis da mesma composição, é proporcional à gramatura.

ESTANDE
Pequena Construção ou balcão armado em feiras ou locais públicos para servir de base a promotores e divulgadores de uma empresa ou marca,receber clientes e prospects, expor mercadorias e amostras, material publicitário ou promocional.

ESTÊNCIL
Folha recortada de modo que, ao ser aplicada sobre uma superfície lisa e passando-se tinta por cima, reproduz a gravura nela traçada.

EXECUÇÃO
1.Em mídia, a tarefa de executar a mídia, emitindo as autorizações e enviando os materiais.
2.Na criação,a tarefa de dar forma física as mensagens.
(ver Autorização e Produção.)

ESTOCÁSTICA
Retícula de impressão especial na qual cada ponto tem uma dimensão fixa e densidade variável de acordo com o tom. Os algoritmos mais recentes podem variar o tamanho do ponto juntamente com sua quantidade. Produz excelentes resultados, muito próximos à aparência dos grãos de pigmento de uma fotografia, porém exige um cuidado maior e equipamentos específicos.

EVA
É uma mistura de alta tecnologia de Etil Vinil Acetato - Borracha não-tôxica que pode ser, e é, aplicada em diversas atividades artesanais.
As placas de E.V.A., são de grande versatilidade, laminados em diversas cores, espessuras, durezas e densidades.
Esse material é comumente trabalhado com tesouras, estiletes, colas, facas gráficas.

EXPORTAR
O ato de enviar um arquivo por um mini-aplicativo especializado para imprimir, comprimir, ou para mudança de formato de arquivo especializado.

 
 
  F ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


FACA
Em artes gráficas, instrumento de metal montado em madeira que serve para recortar impressos em formatos especiais.
Estampa com os contornos e dobras de uma peça gráfica, utilizada pela gráfica para fazer o seu recorte. Existem diversos formatos de facas previamente prontos, porém quando se necessita a confecção de um modelo novo, há duas maneiras de produzi-lo. Manualmente: após feito o fotolito, um processo eletrônico gera uma prova heliográfica que serve de referência; esta é colada sobre uma superfície de madeira (antes da exposição), a qual é cortada por uma serra tico-tico para a colocação no lugar das lâminas de corte e vinco. Eletronicamente: o processo é similar, mas o corte da madeira é feito diretamente por um raio laser, aumentando a precisão e a rapidez.

FAC-SÍMILE
Reprodução exata de um documento na sua forma de impressão original.

FAIXA
Mensagem publicitária impressa em faixas de pano ou plástico,colocadas nas ruas,fachadas de prédios ou em seu interior.

FAIXA DE GÔNDOLA
Tipo de faixa específica para gôndolas de supermercados.
(Ver Gôndola.)

FAMÍLIA
Em tipografia, é o conjunto completo de fontes de um determinado tipo, incluindo todas as variações de estilo da fonte (regular, itálico, bold, condensado, estendido etc.).

FECHAMENTO
Prazo limite para aceitação de anúncios e comerciais pelos veículos.

FIBRA ÓPTICA
Tipo de cabo feito de cristal de quartzo muito fino que permite o tráfego de grandes pacotes de informações em altíssima velocidade (2 bilhões de bits por segundo-2GBp/s) por meio de de luz de 850 nanômetros de cromprimento de onda, (multimodo) e que em geral é utilizado para a troca de pulsos informativos entre grandes distâncias (aproximadamente 2.5 Km).

FILETE
Traço ou conjunto de traços, de espessuras variáveis que se usam na composição gráfica das páginas.

FILIPETA OU VOLANTE
Impresso de pequenas dimensões distribuído para propaganda comercial ou política.

FILME
Em DTP, a palavra é usada frequentemente com o mesmo sentido de fotolito.

FILMLESS
Sistema de arquivo eletrônico usado principalmente nas tecnologias direct to plate e direct to press.

FILTRO
Em software, é um módulo de um programa de manipulação de imagem que produz um efeito específico (Sharpen, Blur, Median etc.); em fotografia, é um acessório que altera a captação da imagem pela lente; em eletrônica, é um circuito que bloqueia certas frequências e deixa passar outras.

FIXADOR
Solução, usualmente tiossulfato de sódio, na qual são imersos filmes e cópias depois do processo de revelação para que os haletos de prata não expostos contidos na emulsão sejam convertidos em produtos solúveis que serão removidos pelo processo de lavagem. Isso evita a deterioração da imagem revelada.

FLATNESS
Em programas que trabalham com vetores, é um coeficiente que determina a qualidade relativa das curvas dos objetos. As curvas vetoriais, para serem impressas, são convertidas em sequências de pequenos segmentos de reta. Quanto maior o flatness, maiores são esses segmentos de reta; consequentemente, pior é a qualidade do contorno.

FLEXOGRAFIA
Sistema de impressão direta com fôrmas flexíveis em alto relevo, feitas de borracha ou fotopolímero. Usa tinta semelhante à utilizada pelo sistema de rotogravura. Iniciou-se nos EUA, em 1853.

FOLDER
1.Folheto publicitário constituido de uma única folha,com uma ou mais dobras.
2. Anúncio de revista com uma ou mais dobras. (Ver Folheto)
3. Impresso constituído por uma única folha , com uma ou mais dobras

FOLIO
Folha de quatro páginas de impressão.

FOLHA DE FLANDRES
É uma liga metálica de folha de ferro-estanhado, que não é encontrada na natureza, mas obtida mergulhando-se uma lâmina de ferro (isenta de ferrugem) em estanho fundido, o que a deixa revestida pela camada protetora de estanho. Esta camada aumenta a resistência a corrosão possibilita a utilização desta liga na fabricação de latas para acondicionamento de certos alimentos e de óleos, além de utensílios domésticos e industriais.

FOLHETO
Peça publicitária gráfica com uma ou mais folhas.

FONTE
1. Em artes gráficas, o nome e formato de uma família de tipos: letras. (Ver Tipos)
2. Arquivo de computador que possui a descrição matemática de um determinado tipo de letra. A partir desta descrição matemática o computador pode escalar este tipo para qualquer tamanho imaginável. Atualmente, os formatos de arquivos de fontes escaláveis mais difundidos são o TrueType, da Apple e Microsoft; o Type1 da Adobe Systems; e o
recém desenvolvido OpenType da Adobe e Microsoft.

FONTE DE IMPRESSÃO
Arquivo de fonte PostScript que contém informação específica para o desenho do tipo na impressora.

FONTE DE TELA
Arquivo auxiliar de fonte PostScript com informação específica para o desenho do tipo na tela do computador. No Mac, é costume vir dentro de uma maleta (suitcase) com o nome da fonte. Nos PCs Wintel, é um arquivo com extensão .PFB.

FORMATO
Dimensões e forma de um anúncio ou peça gráfica, tempo e tipo de um comercial de rádio,TV ou cinema.

FOTOCOMPOSIÇÃO
Sistema de composição eletrônica de textos, desenvolvido nos anos 60, que utiliza matrizes físicas (filmes) ou abstratas (impulsos eletrônicos) para gerar textos em uma emulsão fotográfica (filme ou papel). Caiu em desuso com o desenvolvimento do DTP.
(Ver Composição)

FOTOGRAVURA
Em artes gráficas,matriz em metal ou plástico de uma fotografia ou ilustração.Técnica em desuso, pois foi substituida pelo fotolito ou rotofilme. (Ver Fotolito e RotoFilme.)

FOTOLITO
1. Filme de artes gráficas, que serve como matriz de impressão off-set e sobre o qual são reproduzidos textos, fotos e ilustrações originalmente em papel ou cromo.
2. Empresa que executa serviços de fotolito. (Ver Cromo, Off-Set e Rotofilme).
3. Filme transparente contendo em preto a imagem exata a ser impressa para cada uma das tintas (CMYK). É gravado por processo óptico a laser numa imagesetter, vindo tanto de um arquivo digital, ou por processo fotográfico, ou sendo escaneamento de um original físico.
O processo de impressão direct-to-plate elimina a necessidade de fotolito.

FOTOLITOGRAFIA
A arte e técnica de fazer fotolitos.

FOTO TRAÇO
Reprodução fotográfica de textos e imagens em alto-contraste, sem tonalidades cinza (grayscale/escala de cinza).

FOTÔMETRO
Aparelho usado em fotografia e fotomecânica para medir a intensidade de uma fonte luminosa e determinar o exato tempo de exposição do filme que será necessário para a perfeita reprodução. Quase todas as atuais máquinas fotográficas têm fotômetro embutido; alguns lêem a luz recebida através da lente, outros fazem diretamente.

FOTOPOLÍMETRO (Letterset)
Sistema de impressão indireta em relêvo (offset a seco), no qual o elemento impressor é constituído de material fotopolimerizado. Entre as vantagens estão a não necessidade de molhar a chapa, maior gama de tintas, extrema facilidade de transferência de tinta e altíssimas tiragens.

FOTOGRAVURA
Suporte de metal ou plástico, utilizado como matriz em sistemas de fotocomposição. Atualmente substituída pelo fotolito.

FOTOLITROGRAFIA
Toda a arte e técnica empregada na produção de fotolitos e filmes. Palavra formada do grego: "escrever" (grafia) em "pedra" (lito) utilizando "luz" (foto).

FREE-LANCE
1. Trabalho realizado de forma temporária,sem vínculos empregatícios.
2. Ato de fazer trabalho free-lancer.
3.Profissional que trabalha no regime de free-lancer.

FRONTISPÍCIO
Página no começo do livro, que se segue ao ante-rosto e na qual figura o título da obra, nome do autor, editor e outros dados, que se faz acompanhar com uma ilustração. Foi muito usado nos séculos XVII e XVIII.

FUSÃO
1. Ação de fundir duas ou mais imagens em uma, seja em fotografias estáticas, cinematográficas(filmes) ou videográficas (videoteipe).
2. Justaposição de duas ou mais imagens para a produção de outra.
3. Nome genérico para o efeito de fusão entre duas ou mais imagens. Também conhecido por montagem, colagem ou trucagem.


 
 
  G ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

GAMA (Gamma) -
Relação matemática entre a distribuição do brilho nos tons na entrada e na saída de um dispositivo de imagem. É expressa como um coeficiente numérico ou como um gráfico em curva. Monitores de vídeo trabalham com uma curva de gama que escurece a imagem; o coeficiente exato varia conforme a calibração do monitor. A calibração implica, entre outras coisas, achar o valor exato de gama para cada uma das cores primárias R, G e B.

GAMUT
Amplitude máxima de reprodução de cores e luminosidade de um meio de reprodução de imagem (filmes, vídeos, fotografias e impressão). Todos esses meios têm gamuts consideravelmente menores que o espectro da luz visível; é necessário trabalhar levando em conta essas limitações, especialmente ao converter o material de um meio para o outro, administrando as inevitáveis perdas.

GANHO DE PONTO (dot gain)
Efeito que se observa nas impressoras offset e chapas. É a tendência de os pontos da retícula crescerem por ação de agentes externos; quando não controlados, causam variações visíveis de tonalidade. As preferências do Photoshop incluem um ajuste para a compensação prévia automática do ganho de ponto em imagens CMYK.

GAUSSIAN BLUR
Filtro de Blur com controles de ajuste.

GCR (Gray Component Replacement)
Método de separação de imagens CMYK que pode transferir o componente cinza das cores para a tinta preta (K) sem distorcer os matizes de cores. A intensidade de ciano, magenta e amarelo nos tons escuros são diminuídos e o preto é reforçado numa razão equivalente. O GCR melhora a nitidez e o contraste dos detalhes nas sombras, produz cores mais consistentes, evita a sobrecarga de tinta na impressora e é econômico (a tinta preta é mais barata). Ele reduz a porcentagem total de ponto impressa, além de prover um controle independente para o preto.

GERADOR DE FONTES
Em tipografia digital, é o programa utilizado para a criação, conversão e edição de fontes. O Fontographer, da Macromedia, monopoliza a área desde os anos 80, mas o FontLab da Pyrus vem ganhando espaço entre os profissionais do tipo.

GERENCIMENTO DE COR
Sistema de compatibilização entre dispositivos digitais de imagem para criar consistência na representação das cores entre eles. Os gerenciadores de cores mais conhecidos são o ColorSync da Apple, e o DCS da Kodak.

GIF (Graphic Interchange Format)
0 padrão GIF foi criado pela Compuserve, sistema on-line americano, com milhões de usuários. A necessidade da Compuserve era conseguir um formato próprio de arquivo, que facilitasse o armazenamento e a transmissão de imagens digitais via modem. Dessa forma, o GIF foi concebido para trabalhar com um método de compactação chamado LZW, de compactação interna sem perda de dados, nenhuma informação a respeito da imagem é descartada. Não existe perda de qualidade visual. Qualquer imagem GIF possui este método de compressão interna, que é "transparente" ao usuário. 0 formato GIF suporta imagens de, no máximo, 8 bits de dados por pixel. Na prática isso significa que as imagens podem ter até 256 cores - não mais do que isso. Imagens que requerem uma alta fidelidade de cores não devem ser em GIF, pois 256 cores não são suficientes para reproduzir com todas os nuances de cores . O GIF é um dos padrões de imagens mais utilizados na Internet.
A versão mais moderna do formato, GIF89a, pode armazenar uma sequência de imagens no mesmo arquivo, formando animações simples, e tem a opção de assinalar pixels transparentes.
Adobe Photoshop e ImageReady e o Macromedia Fireworks exportam GIFs otimizados automaticamente. O CorelPhotoPaint gera animações em Gif animator.

GOTEIRA
Espaço medido entre duas colunas. No entanto, também é chamada goteira, ao lado oposto ao lombo do livro, quando deste lado, as folhas têm uma forma côncava.

GÓTICA
Tipo de letra utilizada a partir do século XV, nomeadamente por Guttenberg.

GRAMATURA OU GRAMAGEM DO PAPEL
1. Massa do papel por metro quadrado de superfície, expressa em gramas (g/m2). Quanto mais alto o valor da gramatura, mais denso e/ou grosso é o papel. Usa-se baixas gramaturas no miolo de livros ou revistas e altas gramaturas em capas, folhetos, calendários e demais materiais que exijam alta resistência externa.
2. Termo utilizado para definir a espessura de uma folha de papel, em g/m2 (gramas por metro quadrado), ou seja, quanto mais pesado é o papel, maior sera sua espessura.

GRANULAÇÃO
Aparência "arenosa" de uma imagem de negativo, slide ou impresso, resultante da distribuição irregular dos grãos de prata que se aglomeram durante a revelação do filme. Ampliações muito grandes podem ­evidenciar essa tendência mesmo em cromos considerados ótimos. Quanto maior a sensibilidade do filme, maior a facilidade de acontecer a granulação. Pode ser causada também por ajustes da exposição ("puxada"), revelação, características de contraste, superfície do suporte, estrutura da emulsão.

GRÃO
Microdepósito de prata metálica, sensível à luz e formador da imagem fotográfica. O grão individual nunca é visível, mesmo numa ampliação, mas a sua distribuição dentro da emulsão causa superposições ou aglomerações que podem resultar em granulação na imagem final.

GRAPHIC TABLET (Mesa Digitalizadora)
Dispositivo utilizado em substituição ao mouse para desenho no computador. É uma superfície sensível na qual é possível "desenhar" com uma caneta especial. Usando-se o software apropriado (Painter ou Photoshop), é possível simular infinitos tipos de pincéis; a sensibilidade à pressão na caneta pode (ou não) alterar as propriedades do traço em tempo real.

GRAYSCALE
1. Formato de codificação de imagens em tons de cinza, utilizado principalmente com fotos em preto e branco.
2. Imagem bitmap em tons de cinza, geralmente um canal de 8 bits (256 tons).

GREEK TEXT (texto grego)
Recurso dos programas de paginação, quase em desuso, de substituir na tela os textos com caracteres muito pequenos por uma área uniforme cinza, acelerando a visualização.

GRELHA
Estrutura geralmente ortogonal, formada por retículas, onde se compõe texto e imagem para organizar as páginas.

GRIFO
O mesmo que itálico.(Ver Itálico.)

GRID (Grade)
Quadriculado, visível ou não na tela, utilizado para facilitar o alinhamento e posicionamento de objetos em programas de DTP.

GUARDA
Aba exterior que se dobra para dentro de uma publicação ou livro, de forma a proteger a capa.


 
 
  H ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

HD
Abreviação de corrente de Hard Disk - Disco Rígido. (Computador)

HELIOGRÁFICA
Cópia fotossensível azulada, revelada por processo térmico ou por exposição a vapores de amônia. Serve como prova para revisão. Também chamada de cianográfica.

HISTOGRAMA
Gráfico que mostra a distribuição da quantidade de pixels da imagem em cada nível de tom desde o preto até o branco. Útil para determinar a distribuição precisa das tintas pela imagem e forçar os pontos de branco e de preto da imagem a coincidir com os extremos da escala de brilho (Ajuste de Níveis ou Levels).

HIPERTEXTO
Destaque de palavras, geralmente sublinhadas, em um texto que remete a outros locais (texto ou imagem ou site) permitindo uma leitura não linear.

HPGL (Hewlett-Packard Graphics Language)
Formato de arquivo vetorial utilizado por plotters padrão HP.

HUB
Dispositivo de conexão eletrônica entre o servidor e os outros micros de uma rede do tipo Estrela. Podem ser passivos, apenas distribuindo o sinal; ativos, que possuem um repetidor que regenera o sinal; inteligentes, que permitem monitoração dos micros; ou chaveados que funcionam fechando conexões não utilizadas e acelerando a velocidade de transmissão.

HSL
Espaço de cor cujas variáveis são a porcentagem da transmissão de luz (L = Lightness), saturação (S = Saturation) e matiz (H = Hue). É útil para selecionar cores ao criar um trabalho artístico, mas é impreciso demais para usar como sistema de coordenadas absolutas.


 
 
  I ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

IDENTIDADE VISUAL
Conjunto de símbolos e cores que identificam uma empresa ou marca,como logotipo e logomarca,alfabeto,papelaria,pintura de frota,padrões visuais de embalagem de propaganda etc.

ILUSTRAÇÃO
1.Qualquer desenho,fotografia,gravura ou símbolo gráfico que ilustre uma peça publicitária. 2.Técnica específica de desenho para uso em propaganda,promoção e etc.

IMAGEM (DE MARCA)
Opinião que os consumidores têm de um bem ou serviço que se comercializa com um nome conhecido.

IMAGEM DE MARCA
O mesmo que imagem corporativa, mas aplicada a um produto/serviço ou linha deles.

IMAGEM VETORIZADA
Forma de codificação de imagens através de vetores. Estas imagens podem ser ampliadas ou reduzidas sem perda de qualidade.

IMAGESETTER
Nome genérico dado aos equipamentos usados para produção de fotolito a partir de arquivos de computador, rasterização de arquivos eletrônicos.

IMPOSIÇÃO
1. Processo de ordenar as páginas de uma publicação de modo que quando as folhas forem impressas e dobradas para encadernação , as páginas fiquem na seqüência adequada.
2. Recurso para justaposição de páginas que permite a geração de fotolitos de acordo com o traçado estabelecido pela gráfica, eliminando o trabalho de montagem manual e reduzindo o tempo de gráfica. Para utilizar o serviço de imposição eletrônica, o usuário deve fechar o arquivo com os parâmetros estabelecidos pelo bureau e fornecer o traçado para a montagem do material de acordo com as especificações fornecidas pela gráfica.

IMPRENSA
Termo que designa o conjunto dos vários suportes de comunicação escrita - a instituição do jornalismo escrito.

IMPRESSÃO
Uma unidade de medida. Cada par de olhos que vê um banner conta como uma impressão. Daqui vem o termo CPM, custo por milheiro. Ou seja, quanto custa quando a cada mil vezes uma página com o banner é aberta por um browser.

IMPRESSORA
Pode ter o sentido de "máquina que produz o impresso na gráfica" ou de "aparelho de pequeno porte para produzir layouts e provas na redação".

INFOGRÁFICO
Ilustração de uso jornalístico ou didático que combina textos com mapas, gráficos, tabelas e diagramas pictográficos.

INFORMAÇÃO PUBLICITÁRIA
Mensagem publicitária (na mídia impressa, rádio ou TV) sem as caracteristicas habituais de um anúncio ou comercial, geralmente imitando o estilo editorial do veículo em que está sendo veiculada. (O mesmo que Informe publicitário ou Publieditorial.)

INFORME PUBLICITÁRIO
O mesmo que informação publicitária.(Ver Informação Publicitária.)

INSERÇÃO
1. Anúncio ou comercial veiculado.
2. Ato de veicular qualquer peça publicitária nos veículos.

INTERCALAÇÃO
Colocação de folhas brancas de papel entre as folha que saem da impressão, para evitar decalque , isto é , para prevenir que a tinta marque o verso da folha anteriormente impressa.

INTERPOLAÇÃO
Mudança - ampliação ou redução - na dimensão de pixels de uma imagem. Na ampliação, são criados pixels extras entre os originalmente existentes; na redução, pixels são eliminados. Existem vários algoritmos (métodos matemáticos) para interpolar uma imagem. O método mais simples, Nearest Neighbor (vizinho mais próximo), simplesmente redistribui e multiplica os pixels da imagem original sem alterar seus valores de cor. É o mais rápido, mas aumenta o aliasing. Os métodos mais complexos — bilinear e bicúbico — recalculam os valores de cor de todos os pixels, usando como base os valores existentes na imagem original. Uma imagem interpolada dessa forma mantém as transições suaves de cor (anti-aliasing) entre os detalhes. Como isso não acrescenta nenhum detalhe ao previamente existente, a interpolação para cima (ampliação) resulta em sensação de perda de foco. Invasão de cor - Deturpação de cor do impresso ou predominância de uma cor sobre um determinado material ou área específica.

ITÁLICO (iTALIC)
1. Forma de escrita intermediária entre o impresso normal (em pé ou redondo) e o cursivo (feito à mão). Caracteriza-se pelas letras inclinadas (geralmente para a direita).
2. O mesmo que grifo ou aldino. Variação de uma fonte em que a letra é inclinada para a direita; foi desenvolvida por tipógrafos italianos no século 15.
(Ver Grifo,Negrito e Redondo.)


 
 
  J ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

JAGGIES
Termo de gíria para os pixels em degrau que aparecem em uma curva ou linha inclinada em imagem digital. Quanto menor o pixel, e maior o seu número menos aparente o jaggies. Também conhecido como pixelização

JORNAL
Publicação impressa periódica destinada principalmente a difundir informações gerais.

JPEG ou JPG
1. Joint Photographic Experts Group - Formato de arquivo de imagens comprimidas.
2. Comissão formada pelas entidades ISO, ITU-T e IEC, que originou o padrão universal de mídia digital com o mesmo nome. Estabelecido em 1991, ele foi projetado para comprimir imagens naturais coloridas e monocromáticas. Dependendo do fator de qualidade adotado, as compressões deterioram visivelmente a imagem, mas a degradação em fatores de compressão mais altos são imperceptíveis. Essa compressão só não é recomendada para imagens com fundos em degradês puros.
3. O JPEG é um dos formatos mais usados em arquivos digitais por sua alta taxa de compactação, isso faz que seus arquivos tenham tamanhos espantosamente pequenos. Usado em muitas máquinas fotográficas digitais por armazenar imagens em pouco espaço de memória . Ele utiliza um método de compressão "com perda de dados". Esse método descarta certas informações gravadas na imagem, fazendo diminuir drasticamente o tamanho do arquivo. Cabe ao usuário determinar a taxa de compressão a ser utilizada. Taxas de compressão muito elevadas, no entanto, causam uma considerável queda na qualidade visual da imagem. Os resultados da compressão dos arquivos podem causar blockyness (mosaicos), jaggies (serrilhado), ou pixelização em algumas imagens digitais. Mais alta a compressão maior a pixelização . Se a necessidade é trabalhar com arquivos pequenos, onde a qualidade não é o fator mais importante, JPEG é uma ótima opção. Esta é a razão pela qual o formato tem sido amplamente utilizado na Internet, onde o tamanho dos arquivos é um fator decisivo. Ajustar as linhas de texto num espaço determinado (que pode ser uma coluna), podendo ser à direita ou à esquerda.

 

 
 
  K ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

blacK
a quarta cor da sigla da quadricromia CMYK

KERNING
Ajuste de espaçamento entre pares específicos de letras que normalmente teriam espaçamentos incoerentes com o restante da fonte. Exemplo de par de letras que necessita kerning positivo (distanciando): RA. Exemplo de par de letras que necessita kerning negativo (aproximando): To. A informação de quais pares de letras precisam de kerning e em que intensidade pode ser programada dentro da fonte, mas nem todos os softwares a utilizam, obrigando a fazer correções manuais.

KEYNESS
Descrição dos valores tonais em uma imagem. É a distribuição de densidades entre as altas luzes e as baixas luzes. Se a imagem é constituída predominantemente por altas luzes, ela é chamada de high key. Se a predominância for de áreas escuras, é chamada de low key. Se é formada por quantidades mistas de altas luzes, meias-tintas e sombras, é descrita como normal key.

KNOCKOUT
1. Efeito oposto ao overprint (sobreposição). Consiste em "vazar" as áreas em que objetos se interceptam, criando uma reserva. Um texto em branco sobre qualquer outro fundo produzirá um efeito característico de knockout.
2. Um termo de impressão que se refere à técnica de preparar a separação de cores para que reserve uma área transparente no filme. Isso ocorre geralmente na área em que uma cor se sobrepõe a outra e só uma deve imprimir.


 
 
  L ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

LAB
Espaço de cor cujas variáveis são a luminância (L), o eixo de matizes complementares vermelho-verde (a) e o eixo azul-amarelo (b). Imitando as características físicas da visão humana, o Lab também tem o gamut mais extenso dentre todos os espaços de cor usados para descrever imagens digitalmente, e por isso é usado internamente pelo Photoshop para converter imagens entre todos os demais. Pode-se trabalhar em Lab, mas como a representação de imagens na tela (sempre em RGB) é incapaz de mostrar todas as cores possíveis no modo Lab, os resultados não são confiáveis. Não confunda Lab com L*a*b, que é a abstração matemática do espaço de cor.

LANDSCAPE (Paisagem)
Orientação de página que tem a altura menor que a largura, em oposição a Portrait. Conhecida também por wide ou "página deitada".

LAYER
Em bitmaps, é uma "camada" de imagem, à maneira de folhas de acetato pintadas. Cada camada pode ser, em relação ao que está debaixo dela, opaca ou transparente, e pode alterar suas cores como um efeito especial dinâmico. A manipulação de imagens no Photoshop quase sempre envolve trabalho com layers.

LAYOUT (Termo em inglês) Leiaute (Aportuguesado)
Esboço, mais elaborado que uma rafe, de um anúncio a ser apresentados aos clientes e posteriormente arte-finalizada e impresso. No layout estão apresentados - ainda não em forma definitiva, mas aproximada - todos os elementos visuais básicos de peça publicitária (títulos, mancha do texto, ilustração, etc...)

LAYOUTMAN
Diagramação,em inglês. (Ver Diagramação.)

LINHA
Unidade tipográfica de medição dos anúncios de imprensa.

LINEATURA
1. Medida que define a resolução de reticulas usadas em fotolitos, relacionando as distâncias entre pontos. Ex.: 150 linhas, 133 linhas, etc.
2. Número de linhas de pontos de retícula por unidade de medida. Usado para específicar resolução de equipamentos eletrônicos no processamento de imagens. Pode ser LPI (linhas por polegadas) ou LPC (linhas por centímetro). Varia conforme a qualidade pretendida do trabalho, características da tinta e do papel etc. Normalmente, a divisão da resolução de saída pela lineatura deve resultar em um número que, elevado ao quadrado, produzirá a quantidade de etapas (steps) de gradientes máxima que o dispositivo pode gerar.

LINHA-BASE
Uma linha imaginária sobre a qual se posicionam os caracteres de uma determinada fonte.

LINOTIPO
Sistema de composição tipográfica criado no final do século 19. Os textos são digitados linha a linha em um teclado, e os tipos correspondentes são fundidos em uma liga de chumbo, antimônio e estanho, a partir de moldes permanentes da fonte.

LITOGRAFIA
Técnica de impressão planográfica, isto é, que não se baseia no relevo da superfície de impressão para transmitir a tinta ao papel, e sim nas propriedades mutuamente repulsivas da tinta à base de óleo e da água, usada para isolar as áreas a não serem entintadas. Foi inventada na Alemanha por Alois Senefelder, em 1798.

LIVRETO
Pequeno livro usado normalmente com finalidades promocionais ou de propaganda

LOGO
Abreviatura de logotipo ou logomarca.

LOGOMARCA
Símbolo gráfico identificador de uma empresa ou marca, quando composta do símbolo em si mais o logotipo. (Ver Logotipo e Marca.)

LOGOTIPO
1. Símbolo constituído por palavra ou grupo de letras, apresentadas em desenho característico, destinado a funcionar como elemento de identidade visual de uma empresa, de uma instituição, de um produto.
2.Conjunto de letras especiais que caracterizam uma marca comercial. Quando acompanhado por um símbolo identificador, é denominado logomarca.
3. Designação de uma instituição ou entidade através do seu nome, por extenso (ou seja, não em sigla).
4. Termo alternativo: logo.

LOMBADA
1. Dorso da publicação, onde se encontram os grampos, colagens ou costuras. A lombada quadrada e a canoa constituem exemplos.
2. Parte do livro oposta ao corte da frente, onde se cosem ou colam os cadernos com a capa.

LPI "Lines Per Inch" (Linhas por polegada)
1. Unidade de medida por lineatura.
2. Medida de Resolução geralmente usada na definição de linhatura dos fotolitos.

LUMINÂNCIA
Atributo que diz respeito à quantidade de branco/cinza/preto percebido em um objeto.

LUMINOSO
Tipo de cartaz publicitário com iluminação interna.

LWC (Light Weight Coated paper)
Papel fabricado com alta porcentagem de celulose, com revestimento fora de máquina tendo de 8 g/m² a 19 g/m² de tinta couchê em cada face, supercalandrado.

Utilizado para revistas, tablóides, encartes e materiais promocionais que necessitam de qualidade de impressão ideal para grandes tiragens. Por ser um papel couché de baixa gramatura, é muito utilizado em publicações com número elevado de páginas , pois faz com que o impresso não fique por demais volumoso. Possui ótima alvura e brilho, oferecendo excelente performance através das impressoras.

Gramatura variando de 45 g/m² a 70 g/m², com espessura entre 3 e 5 µm.

É um substrato usado preferencialmente em impressoras offset, mas também em rotogravura, com poligromia utilizando tintas foscas ou brilhantes. (wikipédia)


LZW (Lempel-Ziv-Welsh)
Algoritmo (método matemático) de codificação e compressão de dados. É semelhante à codificação de Huffman, no qual as repetidas seqüências de zeros e uns são substituídas em um dicionário por um símbolo correspondente. O LZW é utilizado na compressão sem perda de qualidade em imagens TIFF e nos formatos de compressão ZIP e SIT.


 
 
  M ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


MAGENTA
A segunda cor da sigla da quadricromia: CMYK

MALA DIRETA
1.Mensagem publicitária ou de marketing direto enviada pelo correio ou portadores. 2. Tipo de mídia, que consiste em enviar mensagens pelo correio ou portadores.

MANCHA
1. Ilustração em rough, feita para dar uma idéia inicial de como ficará a peça gráfica quando finalizada. (Ver Rough.)
2. Espaço padrão ocupado pelas colunas de texto numa publicação.
3. Conjunto de texto/imagem da página, constituindo a sua parte impressa.

MARCA
Símbolo que funciona como elemento identificador e representativo de uma empresa, de uma instituição, de um produto. Essa identificação pode ser obtida por várias formas: A) O nome da empresa, da intituição ou do produto, em sua forma gráfica ou sonora. A marca pode ser constituída por palavras já existentes no idioma (ex: Leite Vigor), sigla (ex: Capemi), ou por nome de fantasia (ex: Fanta). Por extenção, designa o próprio produto: ("Esta marca é de má qualidade" em vez de: "Os produtos dessa marca são de má qualidade.") B) O símbolo visual - figurativo ou emblemático. Pode ou não se reportar à atividade ou ao nome da empresa. C) O logotipo D) O conjunto desses símbolos, numa só composição gráfica, permanente e característica, constituída pelo nome, pelo símbolo e pelo logotipo. Diz-se neste caso, marca corporativa. Há que, proponha o termo logomarca.

MARCA DE CORTE
1. Marcas especiais que indicam como o trabalho deverá ser cortado na gráfica, no processo de acabamento do material.
2. Marcas incluídas no papel impresso para indicação das áreas de corte.

MARGEM
Espaço branco que envolve a mancha. Podem distinguir-se quatro margens: cabeça ou superior; pé ou inferior; de corte ou exterior; de lombo ou interior.

MARGEM DE PINÇA
Zona com cerca de 1,5 cm na margem da folha de papel que será
agarrada pelas pinças da máquina de impressão.

MÁSCARA
Recurso utilizado para isolar áreas de uma imagem.

MATERIAL
Em mídia,as peças publicitárias em sua forma física (fotolitos,fitas com comerciais etc.) que são encaminhadas aos veículos.

MEIO
Abreviatura de meio de comunicação.

MEIO DE COMUNICAÇÃO
Os meios pelos quais a comunicação é feita, como o jornal, revista, rádio, televisão, outdoor etc

MEIO PUBLICITÁRIO
Meio utilizado com a finalidade de efectuar comunicação de publicidade.

MEIO-TOM
1. Graduação do preto. As partes cinza nas peças em preto e branco.
2. É a redução do original de tom contínuo a milhares de diminutos (halftone) pontos, que variam em tamanho, forma e número por área. Quando impressos, esses pontos dão a ilusão dos tons originais.
3. Em uma retícula, é a redução da imagem original de tom contínuo aos micropontos, que variam proporcionalmente em tamanho, forma e número por área. Quando impressos, esses pontos são "reunidos" pelos nossos olhos e restauram a visão dos tons originais. Em termos de tons contínuos, meio-tom pode ser considerado como o intervalo de valores tonais de cores entre os 25% das altas luzes até os 75% do início da área de sombra.

MERCHANDISING
Em, inglês, merchand é mercador. Merchandising, portanto, significa destacando a mercadoria. Enquanto o Marketing explora imagem da empresa como um todo, incluindo logomarca, promoção, distribuição, mídia, tudo enfim, o merchandising é a exposição do produto. Mostrar o produto é fazer merchandising. Merchandising na TV, por exemplo, é colocar o produto no meio de uma cena de novela. Mas existe também o merchandising no ponto-de-venda, que tem como responsabilidade destacar o produto perante os demais. Assim, outdoors, placas em padarias, ônibus, degustação em supermercados também são ações de merchandising. Tudo o que coloca o produto em evidência é merchandising.

MÍDIA IMPRESSA
Os meios de comunicação impressos,especialmente a revista e o jornal,incluindo também o outdoor e todo o tipo de material impresso.(Ver Mídia e Mídia eletrônica.)

MÍDIA MIX
Conjunto dos meios,veículos, formatos e posições utilizados em um plano de mídia. (Ver Mídia e Multimídia.)

MIOLO
1. Parte interna de um jornal, revista ou folheto.
2. Interior de uma publicação impressa, em oposição à capa.

MOCK-UP ("boneco")
Maquete de um produto, utilizado exclusivamente para produção fotográfica. Pode ser em escala ampliada ou reduzida; produtos muito pequenos, por exemplo, são "recriados" em tamanho maior.

MÓDULO (JORNAL)
Cada uma das partes em que se divide igualmente uma página de um jornal, servindo de base para medição de anúncios publicitários e sua comercialização (determinado número de linhas de uma coluna).

MOIRÉ (pronuncia-se moarrê ou moarê)
1. Padrão de interferência criado pela justaposição de duas ou mais estruturas geometricamente regulares e repetitivas. Quando ocorre entre retículas de impressão, causa um efeito visual de "ondas" ou "ilhas" onde se esperaria uma cor chapada.
Um efeito similar pode ocorrer na reprodução policromática de meio-tom, devido a ângulos incorretos da retícula ou deficiência nas tintas. Nas tintas CMYK, por vezes troca-se a angulação do preto (45°) com a do magenta (75°), em função de o filme do preto usualmente conter menos informação visual que o magenta, e com isso também aproximar o ângulo do preto do ângulo do amarelo (15°), que é a tinta que contém menos informação de detalhe e por tal é a que menos tende a gerar moiré.
2. Padrões indesejáveis que ocorrem quando as reproduções são feitas a partir de provas reticuladas. É causado pela confusão óptica entre traços da retícula meio-tom e os pontos ou linhas contidas no original; um efeito similar pode ocorrer na reprodução policromática de meio-tom devido aos ângulos incorretos da retícula ou falta de cores durante a impressão.
3. Padrão indesejável causado pela justaposição de retículas com ângulos incorretos.

MONOCROMIA
Impressão a uma só cor (ou a preto).

 

 
 
  N ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


NEGATIVO
Imagem reversa de outra. Geralmente refere-se ao tipo mais popular de filme fotográfico.

NEGRITO
Letra mais grossa que o normal, usada para fazer destaque no texto ou como recurso gráfico.(Ver Bold,Itálico e redondo.)

NEWSLETTER
Peça gráfica, na forma de uma carta ou pequeno jornal,com estilo editorial, utilizada como veículo de comunicação publicitária e de relações públicas.

NONONÔ
Elemento visual desenhado em rafe ou layout para simular manchas de texto. Utilizado num esboço de anúncio, objetiva compor visualmente o trabalho. O nome deriva do próprio desenho em que se utiliza repetidamente, em todas as linhas, apenas as letras N e O.

 


 
 
  O ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


OCR "Optical Character Recognition".
(Reconhecimento Óptical de Caracteres)
Reconhecimento óptico de caracteres. Este sistema funciona atribuindo a uma dada forma reconhecida uma correspondência a um caractere de texto.

OFF-SET
1. Técnica de impressão que utiliza máquinas planas, nas quais o papel entra em folhas e é impresso pela passagem de um cilindro (no que está gravada a mensagem) sobre ele.
2. Também chamado litografia. Forma comercial da impressão litográfica. O offset é um método de impressão planográfico, sendo o único método importante de impressão no qual a área da imagem e o da não-imagem na chapa de impressão estão no mesmo plano. Elas são separadas por meios químicos, dentro do princípio de que gordura (tinta) e a água (a solução dos rolos umidificadores) não se misturam. A tinta é transferida da chapa para a blaqueta de borracha e daí para o papel. Portanto, pelo fato de a imagem não ser transferida diretamente da chapa para o papel, o sistema é classificado como de impressão indireta.
3. Processo de impressão baseado em cilindros de borracha para transferência de tinta para o papel. Atualmente o mais utilizado.

OFFSET PLANA
Impressoras que trabalham sobre papel em folhas.

OFFSET ROTATIVA
Impressoras que trabalham com alimentação de papel em bobinas. Esse tipo de impressora é indicada para rodar revistas, tablóides e jornais em função da sua alta produtividade e rapidez, além da facilidade de ter cadernos em sua saída.

OLD STYLE ou OLD FACE.
Foram os alfabetos desenvolvidos a partir do século XVII.

OPEN TYPE
1. Tecnologia desenvolvida pela Adobe e pela Microsoft que permite a compressão, o embedding e a descompressão de fontes de modo a que seja facilmente transportável e compatível de plataforma para plataforma.
2. Padrão de fontes universal da Adobe e Microsoft, que funde as características dos padrões PostScript e TrueType nas plataformas Mac e Windows. Utiliza um código híbrido compacto, permitindo que os mesmos arquivos sejam usados em Macs ou PCs sem nenhum tipo de conversão. É baseado em Unicode (tabela universal com uma identificação global e fixa para cada caractere) e Glyph (extensão para símbolos, expressões e caracteres especiais), e armazena 16 bits de informação (máximo de 65535 caracteres) em lugar dos 8 bits (256 caracteres) dos outros formatos. As fontes são totalmente portáveis, mas possuem uma assinatura digital do proprietário; ele controla a sua utilização por outras pessoas (apenas visualização, impressão ou instalação).

OPI (Open Prepress Interface; Interface Aberta de Pré-Impressão)
1. Recurso desenvolvido pela Aldus (empresa incorporada pela Adobe e Macromedia). O bureau arquiva em seu servidor as imagens de alta resolução e envia ao cliente versões correspondentes em baixa resolução. No processo de geração de filmes, as imagens de baixa resolução são automaticamente trocadas pelas de alta resolução no servidor de OPI. Foi superado pelo aumento do poder de processamento e armazenamento dos computadores e com a crescente prática de tratar as imagens em paralelo com a diagramação.
2. Método que posiciona imagens de alta resolução na página impressa utilizando réplicas de baixa resolução. O bureau digitaliza as imagens em scanner profissional, armazena esta imagem e disponibiliza um cópia em baixa resolução, para a diagramação no programa de editoração.

OPÚSCULO
Impresso composto por um máximo de 48 páginas, também denominado brochura ou folheto.

ORÇAMENTO
Verba disponível para o desenvolvimento de uma acção de comunicação (publicitária) num determinado período de tempo.

ORELHA
O mesmo que badana.

ORFÃ
1. Linha muito curta, geralmente final de palavra hifenizada. É considerada defeito de paginação.
2. Última linha de um parágrafo que vai parar em outra coluna. É um defeito estético que deve ser evitado.

ORIGINAL
1. Qualquer material usado como ponto de partida para reprodução.
2. Em produção, arte-final ou cromo encaminhada - junto com o paste-up - para se fazer os fotolitos e rotofilmes. (Ver Arte-Final, Cromo, Fotolito, Paste-Up e Rotofilme.)

ORIGINAL A TRAÇO
Qualquer original que não possua gradação de tons. Ex. textos, pontos, fios, desenhos a nanquim, etc.

ORIGINAL TRANSPARENTE
Original visto através da transparência da luz. Ex.: Kodachrome, Ectachrome.

OUTDOOR
1.Tipo de cartaz publicitário de grandes proporções,de tamanho padronizado.
2.Meio de comunicação publicitária.

OUTLINE

Caracter definido pela sua informação vectorial, também denominado "postscript" ou "printer font", escalonável a qualquer tamanho, sem perder qualidade.

OVERLAY
1. Folha de papél, em geral transparente (papél vegetal, manteiga) colada sobre a arte-final para protegê-la a servi de suporte a anotações diversas (indicações para a produção gráfica, cores, revisão etc.
2. Folha de papel transparente ou translúcido, colocado sobre a arte com a finalidade de protegê-la ou para anotar indicações sobre o que deve ser executado.

OVERPRINT
Sobreposição de tintas correspondentes a objetos diferentes. O contrário de knockout.


 
 
  P ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


PÁGINA
1.Unidade básica de anúncio no caso das revistas. 2.No campo da Internet,um documento típico da web é composto de texto e imagens, que são apresentados pelo browser como uma página, embora a analogia com o papel impresso seja muito limitada. Uma página de web não tem comprimento definido, muito menos verso,por exemplo. (Ver Browser,Homepage e Web.)

PAGINAÇÃO
Em DTP, o mesmo que diagramação.

PÁGINA DUPLA
Duas páginas de anúncio, lado a lado

PÁGINA-MESTRA (master page)
1. Em um documento de paginação, é um layout de página que serve como "gabarito" para a criação das demais páginas da publicação. Útil para o posicionamento - de elementos fixos ou repetitivos como logos, vinhetas, definição das colunas, fios-guias, margens etc.
2. Páginas existentes na maioria dos programas de paginação que permitem a criação de elementos comuns a todas as páginas na publicação. Podem ser definidas isoladamente, isto é, para páginas pares e ímpares, com elementos distintos, que se refletem no restante da publicação. Bastante útil para o posicionamento de logotipos, elementos gráficos, definição de colunas, fios-guias, margens, etc.

PAICA
Forma adaptada do inglês pica, Unidade de medida tipográfica, equivalente a 1/6 de polegada ou 12 pontos OU ou 1 cícero.

PANTONE
1. Padrão de cores muito utilizado em artes gráficas como referência para impressão.
2. Sistema de seleção de cores desenvolvido pela Pantone Inc., a partir de 8 cores primárias especiais que são combinadas em mais de 740 tons diferentes. Esse sistema é amplamente utilizado pela indústria gráfica mundial.

PARÁGRAFO
Pequena divisão de um texto, capítulo ou artigo. Pode iniciar-se com um espaço à entrada da primeira linha (parágrafo português) ou não (parágrafo alemão).


PASTE-UP
Montagem de qualquer peça gráfica,com a colagem da composição, do bromuro e artes-finais sobre um cartão.Quando pronto, é encaminhado ao fotolito ou rotofilme junto com o eventual cromo.Atualmente, com o desenvolvimento dos computadores gráficos, esse trabalho vem sendo gradativamente eliminado.(Ver Arte-Final, Bromuro, Composição, Cromo, Fotolito, Rotofilme, DTP e detalhes do processo de produção gráfica, incluindo o uso de computadores.)

PB
Abreviação de preto-e-branco.

PDF (Portable Document Format — Formato de Documento Portável)
Formato de arquivo do Adobe Acrobat. É exportado pelo Distiller e pelos aplicativos gráficos em geral. É multiplataforma e pode conter todos os elementos componentes, incluindo as fontes. Alguns RIPs PostScript Nível 3 já o aceitam, e é possivel gerar fotolitos com altíssima qualidade (inclusive compostos por imagens) usando PDFs no lugar dos EPS fechados.


Margem inferior de uma página impressa. Também se denomina pé, à parte inferior de uma letra.

PESO
1. Em tipografia, é uma variação de um tipo em relação ao "normal" ou principal da família. Os pesos usualmente incluem Light, Medium e Bold. Famílias complexas como, por exemplo, Univers e Helvetica Neue, contêm outros pesos, como Ultra Light, Thin, Book, Heavy, Extra Bold e Black. Essas fontes podem usar números como meio auxiliar de identificação relativa: 45 Light, 55 Normal, 65 Bold etc.
2. Refere-se, quando aplicado a tipos, ao grau do negrito de uma determinada família. Os graus podem variar do Light (mais leve) ao Medium e Bold, na maioria dos casos. Existem determinadas famílias de tipos desenhadas com pesos do gênero Extra Bold ou Ultra Light, os quais seguem em essência o desenho da família de origem (por exemplo Futura Extra Bold), mas cujo peso é bem maior ou menor. Variações de pesos intermediários de uma determinada família de tipos podem ser criadas automaticamente por softwares de geração de fontes.

PICOLITRO
Esta é uma medida que equivale a um trilionésimo de um litro. Na verdade, dificilmente é mencionada quando o assunto é impressora, mas é utilizada para medir o tamanho das gotas de tinta.

PICTOGRAFIA
Sistema de escrita de natureza icônica, baseada em representações bastante simplificadas dos objetos da realidade.

PIXEL (Picture Element)
1. Menor unidade de uma imagem digital.
2. É o elemento básico da imagem no arquivo/vídeo digital - bitmap. Constituído por uma pequena área de luz e cor que contém toda a informação da imagem. Quando da amostragem, cada elemento desta imagem é traduzido no seu equivalente numérico.
3. O pixel é a parte menor de uma Imagem Digital. Também usado na medida de tamanho de imagem e resolução, i.e., 640 x 480 é a resolução em pixel da maioria dos Monitores de VGA. (Pixels são quadrados em computadores e retangulares em vídeo)

PIXELIZAÇÃO
Pequenos conjuntos de pontos que constituem a imagem bitmap
(imagem rastreada).O fenômeno de pixelização é particularmente visível, sob a forma de quadriculação da imagem, resultando em distorsões, serrilhamento das imagens; perda da curvatura exata. Em imagens com movimento resulta na má qualidade da recepção digital (falta de sinal, cabo coaxial, caixas comutadoras, etc.).

PLAN VIEW
Software de planeamento de televisão que permite construir planos baseados em diversas variáveis que podem ser seleccionadas, com base nos dados de audimetria.

PLOTTER

Equipamento de impressão conhecido anos atrás como traçador, pois sua função principal era desenhar plantas de engenharia e arquitetura. Atualmente os plotters utilizam a tecnologia jato de tinta. Sua principal característica é a de permitir impressões coloridas com alta qualidade em formatos grandes de papel, vinil, etc.

PLUG-IN
A arquitetura plug-in foi popularizada primeiro através do Adobe Photoshop e é agora o padrão para os principais programas de imagem . São acessórios conectáveis, como o Twain, que permitem mais flexibilidade no desenho do programa, permitindo assim adquir, exportar, e executar tarefas específicas como filtros de efeitos, e podem ser executadas em diferentes software. Esta é a forma preferida de operação no Macintosh . A ideologia plug-in se espalhou para outras aplicações como o Navigator da Netscape, o Director da Macromedia, e assim por diante. Nem todos os plug-ins trabalham com todos os programas, são requeridas interfaces específicas para tipos diferentes de software. O desenho da Adobe se tornou o padrão para software de edição de imagem , e software de ilustração gráfica.

POLIESTIRENO (PE)
Material de baixo custo, fácil processabilidade e oferecido ao mercado em tamanhos, cores e acabamentos padronizados, o Poliestireno se caracteriza por sua grande versatilidade, o que possibilita sua aplicação em uma extensa linha de produtos e nos mais variados seguimentos, como: comunicação visual, displays, brindes, moveis, produtos em vacuum forming, eletro-eletrônicos, utensílios domésticos, e muitos outros.

POLIESTIRENO DE ALTO IMPACTO (PSAI)
Com características físico-químicas que lhe conferem boa resistência mecânica a impactos, grande maleabilidade e fácil processabilidade, permitindo que seja moldado a vácuo (vacuum forming), usinado, fresado, perfurado e dobrado, o PSAI apresenta grande versatilidade e praticidade para as mais diversas aplicações, com a vantagem do seu baixo custo.

A comunicação visual tem no PSAI o seu maior aliado, devido a sua grande aderência ao vinil de recorte, à tinta de impressão serigráfica (silk-screen), off-set, hot stamping e tampografia.

O PSAI é fornecido ao mercado na forma de Chapas e Filmes, com acabamento Brilho Mecânico (os dois lados foscos) e Alto Brilho (um lado fosco e outro brilhante), visando atender as necessidades específicas de cada segmento, sendo indicado para a confecção de placas indicativas, back lights, displays, crachás, cartões de visita, tanquinhos populares, bebedouros, brinquedos, embalagens, armários para banheiros, revestimento de containers, gaveteiros, e muitos outros.

POLIPROPILENO (PP)
O polipropileno é um tipo de plástico que pode ser moldado usando apenas aquecimento, ou seja, é um termoplástico. Possui propriedades muito semelhantes às do PE, mas com ponto de amolecimento mais elevado.
É usado para a produção de frascos, garrafas, reservatórios para veículos, etc.

PONTO
Unidade de medida tipográfica, criada por Didot, em cerca de 1742, baseada na divisão do pied du roi (30 cm) em 798 partes, equivalente por isso a 0,376 mm.

PONTO ELÍPTICO
Usado em fotolito para reproduzir os meios-tons, com uma graduação mais suave dos tons.

PORTA-FÓLIO
Versão brasileira (pouco usada) de portfolio.

PORTFÓLIO ( Ver Porta-Fólio.)
1.Conjunto de marcas, produtos e serviços de uma empresa. 2.Conjunto das contas de uma agência.
3. Trabalhos já realizados por uma agência, produtora, fornecedor ou profissional.
4. Conjunto dos títulos de uma editora e de programas de uma emissora de rádio e TV.

PORTRAIT
Página que tem a largura menor que altura. Conhecida também por Tall, Página em pé e Retrato.

PÔSTER
Tipo de cartaz publicitário, geralmente impresso. (Ver Cartaz.)

POSTSCRIPT

1. Linguagem de programação usada para descrever imagens gráficas. Criada pela Adobe Systems , é utilizada pela maioria dos fabricantes de equipamentos profissionais de editoração eletrônica.
2. Linguagem de descrição de página para impressoras, criada pela Adobe. Tornou-se padrão quase absoluto no mercado de DTP. A página é descrita por comandos e expressões matemáticas legíveis. O arquivo salvo contendo essas instruções (chamado EPS ou "PostScript encapsulado") é totalmente legível e manipulável. PostScript também é o padrão de fontes proprietário da Adobe. Cada fonte compreende um par de arquivos: a fonte de impressão e a fonte de tela.

PPD (PostScript Printer Description; descrição de impressora PScript)
1. Arquivo que contém configurações específicas para uma determinada impressora PostScript. Normalmente as principais informações são a combinação páginas/resolução/lineatura default (padrão). Esse arquivos podem ser editados para melhor adaptação ao dispositivo; na maioria das vezes, as opções são mantidas em default e especificadas/forçadas pelo RIP.
2. Arquivo específico para impressora que indica o tamanho do papel , as fontes residentes na memória , formatos de impressão , qualidade de impressão , resolução máxima , etc... Utilizado para que o fechamento do arquivo fique dentro dos parâmetros utilizados. O PPD complementa as informações dos drivers.

PPI (Pixels Per Inche)
Termo gráfico para Pixels por Polegada

PRANCHA
Ilustração numa página que não se encontra inserida na seqüência numérica das páginas de texto.

PRELO
Impressora manual com a qual se produzem provas para o sistema de impressão offset em um processo quase artesanal. Utiliza chapas, rolos e tintas semelhantes aos de uma impressora normal. É considerada a prova mais fiel, quando bem executada.

PREPRESS (Pré-Impressão)
Nome genérico para as atividades executadas entre o final da produção de originais e a gravação de matrizes. Sugere processos eletrônicos de foto-reprodução anteriores à fase de impressão.

PRESS-KIT
Conjunto de informações, textos, ilustrações, fotografias e até amostras de produto entregues à imprensa nos trabalhos de relações públicas e assessoria de imprensa.

PRESS-RELEASE
Texto com informações para a imprensa. (Ver Release.)

PRETO-E-BRANCO
Peça publicitária que utiliza apenas a cor preta e seus matrizes de cinza. (Ver Black and White e Meio-Tom.)

PRISMAGEM
Indicação de referência da posição e escala de uma foto ou ilustração na página.

PROCESSADORA
1. Equipamento para revelação automática de filmes, composta por três racks: um com o revelador, seguido do fixador e um último com água corrente para a limpeza e retirada de excessos. Finalmente, o filme processado é seco.
2. Equipamento para revelação automática de filmes expostos.

PROCESS COLOR
CMYK - Quadricromia propriamente dita.

PRODUÇÃO GRÁFICA
1. Processo de materialização das peças geradas no departamento de arte. Envolve um relacionamento indireto com a parte gráfica: produtores, fornecedores etc.
2. Normalmente chefiada por um técnico em artes gráficas, tem a função de orçamentar os trabalhos junto aos fornecedores e de supervisioná-los.

PROFUNDIDADE DE COR
Em uma imagem digital, corresponde ao comprimento em bits do código digital que dá o valor de cor de cada pixel. Quanto mais longo esse código, maior a quantidade de valores numéricos que podem ser registrados e maior a precisão de cor no caso de fotos digitalizadas. A progressão é geométrica de base 2: 1 bit = duas cores, 2 bits = 4 cores, 4 bits = 16 cores, 8 bits = 256 cores, 16 bits = 65,5 mil cores, 24 bits = 16,7 milhões de cores.

PROGRAMAÇÃO VISUAL
Ver Identidade Visual.

PROOF
Prova de artes gráficas feita eletronicamente, muitas vezes no próprio equipamento de editoração eletrônica (workstation DTP) da agência. (Ver DTP, Prova, Workstation.)

PROSPECTO
Ver Folheto.

PROVA
1. Em artes gráficas, a impressão manual e limitada do fotolito, para analisar se ele está correto e ter uma visão prévia de como será o resultado final. No caso dos trabalhos em cores, além da prova com todas as cores utilizadas, há uma prova de escala com cada cor utilizadas, há uma prova de escala com cada cor utilizada, que serve como guia para a impressão.
2. Impressão (por diversas técnicas) do resultado de um trabalho gráfico de editoração eletrônica feito digitalmente em computador. 3.Esboço de spot ou jingle, para aprovação de uma idéia criativa, letra e música e para servir de guia para a produção. (Ver Escala, Fotolito, Jingle e Spot.)

PROVA CONTRATUAL
Significa que é uma prova que tem efeito de documento na discussão sobre qualidade de materiais impressos. Estas provas deverão conter matizes e densidades de impressão equivalentes as de impressão em Offset.

PROVA DE COR
Prova da arte-final, produzida a partir do fotolito, para servir de guia para a gráfica. Os processos mais utilizados para confecção de provas de cor são o Matchprint e o prelo.

PROVA DE IMPRESSÃO
Experimental para checar o aspecto do trabalho enquanto ele está sendo executado.

PSD
Formato nativo do Adobe Photoshop. É o formato gráfico mais completo (e complexo) de todos, com suporte a diversos espaços de cor, imagem indexada, layers, canais alfa, efeitos de layers, clipping paths, objetos vetoriais, objetos de texto e muitos outros recursos. Alguns programas abrem PSD diretamente, mas a maioria requer que a imagem seja exportada como TIFF ou outro formato comum.

PUBLIEDITORIAL
Expressão que designa os anúncios feitos na forma de materiais editoriais em qualquer mídia.

 

 
 
  Q ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


QUADRICROMIA
Sistema gráfico que separa as cores em retículas do amarelo, cyan (azul), magenta (um tipo de vermelho) e preto, permitindo que praticamente todas as cores sejam reproduzidas com a impressão dessas quatro. (Ver Seleção de Cores.)

QUARKXPRESS
Software de paginação ou diagramação, programa de computação mais utilizado pelas agências de propaganda e editoral. Seu maior uso está na plataforma Apple MacOS, com versão para PC IBM também.


 
 
  R ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


RASTERIZAÇÃO
1. Conversão de um arquivo de página ou ilustração digital em um bitmap, chamado raster image (ou, numa tradução porca, "imagem de rastreamento"), que é o material reproduzido de fato na impressão. Por exemplo, as páginas em EPS recebidas pelo bureau são convertidas pela imagesetter em um raster de resolução muito alta, que é gravado a laser no fotolito.
2.O processo que automaticamente converte vetor e texto em raster ou bitmap. Este processo é executado on-line para plotagens, ou pode ser armazenado como um arquivo em formato bitmap (raster).

RAFE (Rough)
Termo que designa, em P.P., os primeiros rascunhos feitos pelo desenhista ou diagramador na criação de um anúncio. Primeira fase da arte, antes do layout e da arte-final.

RAFF
Forma abrasileirada de rough. (Ver Rough.)

REDONDO
1. Tipo de letra normal, escrita de forma impressa, verticalmente, encontrada em dezenas de famílias (estilos de letras. Base da qual são feitos os tipos em itálico (grifo), negrito, condensado (mais estreito que o normal) e expandido (mais largo que o padrão redondo). (Ver Grifo, Itálico e Redondo.)
2. Oposto a itálico.

REFILE
Fazer um corte muito delgado , por meio de guilhotina , a poucos milímetros das margens exteriores dos impressos , na fase de acabamento , para igualar todo o conjunto de páginas impressas

REGISTRO
1. Em artes gráficas, sinal gráfico cheio de detalhes que registra a posição correta da sobreposição de cada uma das quatro cores que fazem a impressão em quadricromia. (Ver Quadricromia.)
2. Marcas coincidentes colocadas no fotolito para que haja encaixe perfeito no processo de impressão.

RELEASE
Forma condensada e muito empregada de press-release.(Ver Press-Release.)

RELEVO
Técnica de impressão que permite imprimir textos e ilustrações em relevo (alto ou baixo), mesmo sem tinta (relevo seco, apenas fazendo contornos no papel) e de lâminas metálicas (hot stamping em ouro, prata, bronze etc.).

RELEVO BRANCO
Impressão em relevo (gravura) sem aplicação de tinta.

REPRINT
Impressão em pequena escala de anúncio publicado em jornal ou revista, pra uso interno e para distribuidores e varejistas.

RESMA
Conjunto de 500 folhas de papel, equivalente a 20 mãos.

RESOLUÇÃO
Número de pixels ou de pontos por área linear em uma imagem, impressora, imagesetter ou scanner. Pode se referir também ao número de bits por pixel. No caso de imagens (scanners), quanto maior a resolução, maior será o tamanho do arquivo gerado, mas também, maior será a qualidade do trabalho final.

RETÍCULA
1. Rede de pequenos pontos, que formam linhas, quadriculos e espaços regulares, gerando efeitos visuais nos trabalhos gráficos.
2. Rede de pequenos pontos que permite a existência do meio-tom (ou seja, das tonalidades de cinza) e da quadricromia (na qual o processo se repete, co a existência do meio-tom do amarelo, cyan e magenta). (Ver Meio-Tom e Quadricromia.)

REVISTA
Publicação periódica normalmente com a publicação de artigos sobre assuntos ou domínios específicos.

RGB (Red, Green, Blue)
1. Vermelho, Verde, Azul: o idioma de cor de computadores. Monitores e máquinas fotográficas digitais usam estas cores para criar todas as cores vistas no monitor e salvas em arquivos. O Verde dá a cor verde, mas também é usado para controle de contraste. O sistema aditivo consiste na cor RGB emitida.
2. Espaço de cor cujas primárias são R (vermelho), G (verde) e B (azul). Utilizado em Televisores, Monitores e Escaneres.

RIP (Raster Image Processador)
1. Um periférico ou programa que traduz as informações de layout de uma página em um computador, em uma linguagem de descrição de página na forma de pontos (retículas), suportada pelo dispositivo de impressão (fotolitos, chapas de impressão).
2. Hardware (HardRip) ou software (SoftRip) usado para rasterização.

RODAPÉ (footer)
1. Tipo de anúncio localizado no pé das páginas de jornal e revista.
2. Conjunto de linhas de texto que aparecem no pé das páginas de uma publicação, indicando capítulo, númeração de página ou informações de referência.

ROSETA
Efeito visual formado pelas retículas quando o resultado final de todas as inclinações está correto. Quanto maior a lineatura, mais difícil será de observar a roseta.

ROSTO
Página de uma obra onde figura o título, o autor, editor, local e data de publicação.

ROTATIVA
1. Máquina impressora do sistema de rotogravura e quando utiliza bobina no sistema Offset e Flexografia.
2. Máquina de impressão que é alimentada por papel em bobinas, a altas velocidades. A máquina inclui um mecanismo para cortar e dobrar em cadernos a folha contínua imediatamente após a impressão, mais um aparelho para trocar as bobinas em pleno movimento. (Ver Rotogravura.)

ROTOFILME
Tipo de fotolito utilizado em rotogravura. (Ver Fotolito e Rotogravura.)

ROTOGRAVURA
1. Sistema de impressão cujo nome deriva das fôrmas cilíndricas e do princípio rotativo de suas impressoras. Utiliza tintas líquidas à base de solventes voláteis (xileno, álcool ou thinner, que é o mais usado); o grafismo fica em baixo relevo. Foi inventada por volta de 1784 por Thomas Bell. Muito utilizada em revistas de grandes tiragens e na indústria de embalagens flexíveis.

2.Técnica de impressão que utiliza máquinas rotativas, no que o papel em bobinas é impresso quando passa (em alta velocidade) pelos cilindros em que estão gravadas as mensagens.

ROSTO
Página de uma obra onde figura o título, o autor, editor, local e data de publicação. (V. Ante-Rosto)

ROUGH
Palavra inglesa que é pronunciada como raff e significa rascunho.É o primeiro ou primeiros rascunhos de um anúncio ou qualquer outra peça publicitária, que mostra como ficar no final do processo de criação e produção.(Ver Raff.)

ROYALT-FREE
Imagem, elemento ou conteúdo que pode ser utilizado e publicado sem o pagamento de "Royaltees", isto é, direitos autorais.


 
 
  S ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


SANGRIA
Excesso de área impressa que ultrapassa o limite da área de corte, utilizada para que a arte termine no limite da impressão.

SATURAÇÃO
Exagero no uso de uma mesma campanha ou mensagem publicitária, gerando desgaste para o anunciante junto a seu(s) target(s). Quando isso acontece, a(s) mensagem(ns) deixa(m) de ser positiva(s) e pode(m) até mesmo gerar efeito(s) negativo(s).

SCANNER
1.Equipamento de artes gráficas, computadorizado, que faz a seleção de cores, os fotolitos e rotofilmes.
2. Acessório de computador ou workstation (de DTP) que permite gravar uma ilustração ou foto na memória do aparelho para iniciar o processo de diagramação.
3. Digitalizador. O original pode ser opaco, transparente ou translúcido. Utiliza (na maioria das vezes) um sistema óptico-eletrônico similar ao de câmeras digitais, fazendo uma varredura (o nome scanner significa "varredor") na superfície do original e convertendo a leitura em sinais eletrônicos correspondentes a pixels de imagem. Pode ser cilíndrico ou de mesa plana (flatbed). O arquivo digitalizado é o scan.

SEGMENTO DE CORES
1. Grupo de consumidores com perfil e comportamento de compra idêntico. 2. Pedaço do mercado total.(Ver Share e Target.)

SELEÇÃO
Em artes gráficas, processo de seleção das cores básicas (amarelo, cyan, magenta e cores) para fazer os fotolitos e rotofilmes da quadricromia. (Ver Fotolito, Quadricromia e Rotofilme.)

SELEÇÃO DE COR
1. Separação das quatro cores do processo de quadricromia ("CMYK").
2. Processo de pré-impressão onde todo o espectro de cores é reduzido para apenas quatro cores básicas (cyan, magenta, amarelo e preto).

SEPARAÇÃO
Transformação de uma imagem em canais componentes que correspondem às chapas de impressão. Pode usar os métodos UCR ou GCR.

SERIFA
Detalhe que complementa opticamente o desenho de um tipo; usualmente é um "pé" ou "nariz" nas ­extremidades de cada letra. Tipos que contêm esses elementos são chamados "serifados" e são os mais comuns na composição de livros e textos longos. As letras sem serifa, de construção despojada e aplicação versátil, só foram inventadas a partir da segunda metade do século XIX.

SERIGRAFIA ou SILKSCREEN (Tela de Seda)
1. Sistema de impressão direta. Utiliza uma matriz vazada, constituída de uma tela de tecido plástico ou metálico tensionada sobre uma moldura, na qual as áreas de contra-grafismo são vedadas. Com um racle (espátula) de borracha, a tinta líquida é forçada a passar pelos vãos livres entre os fios da trama, transferindo-se para o suporte de impressão. A tinta é semi-líquida, de acordo com o suporte. Usado na impressão de tecidos, vidro, couro, cerâmica etc. Embora praticada pelos chineses há séculos, foi patenteada por Samuel Simon em 1907. Em silk screen não pode haver overprint de cores.
2. Processo artesanal de impressão, que consiste em fazer a tinta passar para o papel, pano ou outro suporte através de uma tela de seda, náilon ou outro material que possa ser utilizado como matriz.

SERRILHADO
O mesmo que aliasing.

SETSCREEN
Comando da linguagem PostScript responsável pela definição dos pontos de retícula. Alguns parâmetros passados juntamente com o setscreen possibilitam a alteração dos parâmetros de frequência, tipo de ponto, ângulo e fundo, ou simplesmente desconsiderá-los.

SHAREWARE
Software distribuído gratuitamente por determinado período. Depois de um período inicial de testes, espera-se que o usuário envie um pagamento aos autores do programa para continuar a utilizá-lo.

SHARPEN (Nitidez)
Filtro de imagem que aumenta o contraste entre os pixels próximos, aumentando a nitidez e (até certo ponto) cancelando perdas de foco. Em imagens digitais, é usual dar um Sharpen um pouco mais forte que o necessário, para compensar previamente a atenuação de detalhes finos na impressão.

SLIDE
Cromo de 35 mm encaixado em uma moldura.

SLR (Single-lens Reflex)
Máquina reflexiva (sistema automático de espelhos e um pentaprisma) com focagem na própria objetiva.

SILK SCREEN
O mesmo que serigrafia.

SMALL CAPS
Texto composto exclusivamente em caixa alta. O mesmo que versalete.

SNAP
Em programas de paginação, é um efeito que faz os objetos se encaixarem automaticamente quando estão bem próximos a guias (snap to guides), a outros objetos (snap to objects) ou à grade (snap to grid).

SOBRECAPA
Papel impresso que geralmente envolve a capa de um documento para maior proteção.

SPOOL (Carretel) - Recurso dos sistemas operacionais modernos que permite a impressão enquanto se executa outras tarefas no computador. O material enviado para imprimir é gravado no HD e libera o programa rapidamente. A transmissão à impressora ocorre no background (segundo plano).

SPOT COLOR (Cor Especial)
Separação produzida para imprimir com tintas especiais. Uma spot color é separada como uma cor pura, produzindo uma nova chapa. Geralmente utilizada para impressão de cores extras, que não são geradas pelo sistema CMYK - prata, ouro ou qualquer outra pertencente a uma escala diferente (Pantone, Hexachrome e outras).

SPREAD
O mesmo que páginas espelhadas ou consecutivas. Também chamadas de facing pages e são usadas para melhor aproveitamento na saída de filmes.

STRIP

Emenda feita em fotolito ou rotofilme, visando corrigir pequenos erros sem ser preciso refazer todo o material.(Ver Fotolito e Rotofilme.)

STRIPPING
1. Emendas e correções de última hora feitas no filme limpo. O stripping só pode ser aplicado em áreas livres de retículas. Quase sempre no filme do preto.
2. Filme especial que possui uma camada que se destaca, usado para fazer emendas no filme pronto. Também chamado de strip.

SUBTÍTULO
Palavra ou frase que complementa o título, aparecendo juntamente.


 
 
  T ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


TABLÓIDE
Jornal com uma dimensão menor que o tradicional contendo aproximadamente 6 colunas e um total de + 1000 linhas por página (tipo 5).

TABULETA
1. Unidade do meio outdoor, ou seja cada um dos locais de exibição dos cartazes ou painéis.
2. Armação na qual é colado o cartaz. (Ver Cartaz, Outdoor e Painel.)

TAMPOGRAFIA
Sistema de impressão indireto, no qual a imagem é transmitida da matriz para o suporte através de uma peça de silicone chamada "tampão"; devido à sua flexibilidade, ela pode imprimir sobre objetos curvos. A tinta, semi-líquida, varia de formulação de acordo com o suporte. Utiliza clichê em baixo relevo e um sistema de racle análogo à rotogravura, onde se retira a tinta do contra-grafismo. Muito utilizado para imprimir em pratos, teclas de computador, canetas, painéis de equipamentos etc. A primeira máquina foi construída por volta de 1970.

TEXTO CORRIDO
Texto composto em colunas regulares com nenhuma ou poucas variações tipográficas.

TEXTO IRREGULAR
Linhas de texto compostas em diferentes medidas, alinhadas (justified) por um lado (esquerdo ou direito) e irregulares (ragged) do lado oposto.

THRESHOLD (Limiar)
Cálculo usado como técnica de separação dos tons da imagem em dois valores uniformes. Assinala-se algum tom na escala como limiar (normalmente 50%, mas pode ser qualquer outro) e todos os valores dos pixels menores ou igual a esse valor são transformados em preto, enquanto os valores superiores são mapeados para branco. O efeito é utilizado para conversão de imagens grayscale em alto contraste.

TIFF (Tagged Image File Format)
1. Tag - etiqueta. 0 TIFF é o formato de arquivo digital usado pela maioria dos programas de editoração e tratamento de imagem, inclusive fotografia. Trabalha com imagens raster, bitmap mais a informação de cabeçalho, o header . Ele suporta imagens true color (16,7 milhões de cores), e possui um esquema de compactação que pode ou não ser ativado, dependendo da escolha do usuário. A compactação do TIFF é a LZW — compactação interna sem perda de dados, nenhuma informação de imagem é descartada, não existe perda de dados( guarda alguma semelhança som
o formato ZIP de compactação). A única diferença é que a compactação torna os processos de abertura e processamento da imagem mais lentos. Profissionais que necessitam de um formato de arquivo para imagens de alta fidelidade encontram no TIFF uma ótima opcão.
2. Formato de arquivo de imagens bitmap. Muito usado por scanners e programas de manipulação de imagens e paginação. Desenvolvido nos anos 80 em parceria por Aldus, Microsoft e fabricantes de scanners. Suporta RGB, grayscale e CMYK, aceita clipping paths, canais alfa e tem como opcional a compressão — LZW (sem perda de qualidade da imagem).

TINTA
É formada pela combinação de resinas, solventes, pigmentos e aditivos. O pigmento dá a cor, o solvente a viscosidade, os aditivos o brilho, opacidade e consistência, e as resinas são responsáveis pelo transporte físico.

TIPO
1. Desenho de um caractere tipográfico. O sentido original era "matriz de metal para um caractere dentro de uma fonte". O metal usado é composto de chumbo para volume (85%), antimônio para dureza (11%) e estanho para liga (4%).
2. Estilo de uma letra impressa. Caracteristica visual comum de cada uma das letras que compõe uma família de tipos. (Ver Família, Itálico, Negrito e Redondo.)
3. Caracter tipográfico.
4. O mesmo que "Fonte".

TIPOGRAFIA
1. No sentido atual, é simplesmente a ciência e arte da criação e composição de tipos. No sentido original, é um sistema de impressão direta. Usa tinta gordurosa e pastosa; os tipos são fôrmas relevográficas de metal. Originou-se da xilogravura (impressão com blocos de madeira em relevo), originalmente inventada pelos chineses; a prensa de tipos metálicos foi criada em 1440 por Gutenberg. Foi o principal sistema de impressão durante 400 anos. Ainda é usado na impressão de livros, folhetos, cartões de visita, convites e outros produtos de natureza semi-artesanal. Nas demais aplicações, foi substituída por outras tecnologias.

2. Antigo processo de impresso (geralmente apenas de textos e pequenos símbolos) de forma mecânica, com pressão da matriz em clichê sobre o papel. (Ver Clichê.)

TIRAGEM
1. Número total de exemplares impressos de determinado suporte e referente a uma dada edição.
2. Número de exemplares de uma edição impressos de uma só vez.
3. Quantidade de qualquer material impresso.

TIRA-RETIRA
Termos usado em artes gráficas para designar o processo de cópia frente e verso numa única chapa. Assim é possível imprimir frente e verso numa única passagem. Depois vira-se o papel e, utilizando a mesma chapa, casa-se a frente + verso e verso + frente.

TOM CONTÍNUO
Imagem com extensa gama de tons do branco para o preto, de forma que as tonalidades do branco ao preto absolutos misturam-se sem interrupção perceptível. Fotografias, pinturas, desenhos a lápis ou a carvão são todos originais de tom contínuo. Como uma máquina de impressão só imprime a traço (presença total ou ausência total de tinta em cada ponto do papel), é preciso transformar esse tom contínuo em meio-tom de retícula.

TONER
1. Tinta sólida, composta de partículas finas de pó que possuem características eletrostáticas e são atraídas eletromagneticamente. Utilizado pelas copiadoras e impressoras a laser, que fundem essas partículas à superfície do papel e as fixam via aplicação de alta temperatura. O toner é uma substância tóxica.
2. Espécie de tinta composta de partículas finas de pó que possuem características eletrostáticas. Utilizado pelas impressoras a laser que fundem essas partículas em alta temperatura, para formar as imagens e textos que irão compor as páginas.

TRAÇO
1. Em artes gráficas, definição de ilustração ou simbolo sem nenhum meio-tom, em PB ou cor chapada. 2. Em mídia, expressão usada para definir audiências de rádio e TV muito pequenas, quase inexpressivas. (Ver Audiência, Meio-Tom e PB.)

TRACKING
Ajustamento do espaço entre as letras, mas não particularmente entre pares de letras para correção (kerning). O tracking pode ser normal, solto ou apertado, consoante a distância que as letras passam a ter entre si.

TRAPPING
1. Recurso presente nos programas de paginação e ilustração, que expande automaticamente os contornos das cores chapadas de planos sucessivos, causando uma pequena sobreimpressão na aresta de contato entre as cores. Sua função é evitar que, devido a um eventual erro de registro, surja um filete na transição das duas cores. O mesmo efeito pode ser feito do primeiro plano para o segundo ou do segundo plano para o primeiro; o segundo caso é o usual em textos compostos com corpos muito pequenos, evitando que as letras pareçam muito espessas e próximas.
2. É o encaixe que existe entre cores adjacentes no fotolito. Quando geramos um fotolito pelo computador, áreas de cores adjacentes podem ficar tão milimétricamente justas que é inevitável para a gráfica realizar a impressão sem que apareça um filete branco entre elas (falta de registro).
3. A superposição intencional de uma na outra, na junção de cores diferentes, para dar tolerância ao registro.

TRATAMENTO DE IMAGEM
Manipulação digital envolvendo ajustes de cor e correção de defeitos.

TRUETYPE

Padrão de fontes conjunto da Apple e Microsoft, com versões (incompatíveis entre si) para Mac OS e Windows, no qual cada fonte é codificada em um arquivo único (podendo ou não as fontes da mesma família serem reunidas em maletas - suitcases - no Mac). Para sua visualização, não é necessário um software como o ATM.

TWAIN
Um interface de aquisição desenvolvido por um consórcio de desenvolvedores de software como um padrão para comunicações entre scaners, dispositivos de imagem e máquinas fotográficas digitais e o software de computador. O twain lhe permite importar (adquirir) uma imagem em seu software. Esta é o interface de troca na plataforma do Windows.

TYPE 1

Desenvolvido originalmente pela Adobe como formato standard de tipos a usar nas impressoras postscript mas é atualmente um formato standard. É o formato mais utilizado de fontes postscript, sendo o outro o Type 3. As fontes Type 1 são compostas por dois elementos: a fonte para tela (numa pasta própria) e a fonte para impressora.

 

 
 
  U ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


UV (Ultra violeta)
Radiação eletromagnética invisível, sujo comprimento de onda está compreendido na faixa do espectro eletromagnético entre 10 e 400 nonômetros, empregada em processos fotomecânicos de reprodução fotográfica, de cópia de chapas e matrizes de impressão.
Utilizado também nas aplicações de acabamento de um impresso, isto é, em um sistema de secagem de envernizamento de peças gráficas.

UCR (Undercolor Removal)
1. Método de separação que remove em maior ou menor grau as cores primárias (CMY) das áreas neutras escuras, compensando a diferença com a adição de tinta preta (K). Reduz os tamanhos dos pontos de retícula das três cores de escala das áreas neutras e compensa o aumento dos tamanhos dos pontos pretos. O mesmo tom escuro é reproduzido com muito menos problemas de trapping e registro.
2. Técnica que remove Cyan, Magenta e Amarelo nas áreas de sombras neutras, compensando com preto e evitando problemas de decalque na impressão.

UCA (Undercolor Addition)
Método de separação que reforça as cores primárias (CMY) nas áreas neutras escuras, que são impressas pela tinta preta (K). Isso compensa o fenômeno de quando os tamanhos dos pontos de retícula amarelo, magenta e ciano são muito reduzidos pelo processo GCR. Sem UCA, as áreas escuras podem ficar mais claras do que o desejado.

UNSHARP MASK
Sharpen com controles de ajuste. (Ver SHARPEN)

 

 
 
  V ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 

VAZADO
Texto em branco sobre fundo preto ou cor chapada.

VEÍCULO
1.Nome genérico de qualquer empresa de comunicação, com editoras, emissoras, exibidoras de outdoor etc.
2. Empresa individual de cada meio de comunicação, como o canal ou a rede de TV ou rádio, a editora de jornais e revistas etc.
3. Título de jornal ou revista, emissora de rádio ou TV e qualquer outro instrumento de comunicação física, que leva as mensagens dos anunciantes ao consumidores.
4. Área da propaganda que agrupa os veículos de comunicação.

VERNIZ
Espécie de tinta de acabamento superficial do impresso que pode ter ou brilho ou textura fosca, com ou sem aroma.

VERSAL
Letra capital em corpo maior que o do texto e com a qual se inicia um capítulo. (V. Capitular.)

VERSALETE (SMALL CAPS)
1. Letra que tem a forma da maiúscula e a altura aproximada da minúscula. Pode-se escrever com os caracteres iniciais em caixa alta "normal" e os demais menores.
2. Quando o texto é todo escrito em baixa alta, sendo que as letras que comumente nos textos são escritas em Caixa baixa permanecem com o formato de Caixa Alta porém com tamanho menor.

VETOR
1. Desenho geométrico, obtido através de uma fórmula matemática. Existem diversos modelos matemáticos; o mais comum é o de Bézier. A resolução de um desenho vetorial é limitada unicamente pelo dispositivo de saida, permitindo ampliação ilimitada sem perda de qualidade. Os arquivos vetoriais são relativamente pequenos em tamanho. É possível combinar os vetores com bitmaps, os softwares vetoriais como o CorelDRAW, Adobe Illustrator, Xara Xtreme estão se desenvolvento neste mix, afora outros não tão conhecidos; a tecnologia de animação Flash é baseada nos dois.
2. Um formato de imagem eletrônica ou legível pelo computador, que incorpora uma formula matemática de representação de arte em traço, linhas e áreas. O formato de vetor, usado durante o processo de ampliação ou redução, mantém a qualidade das imagens e facilita modificações. Este formato também é usado freqüentemente durante o processo de edição.

VINCAGEM
Operação destinada — com o auxílio de lâminas sem fio — a produzir vincos sobre papel de gramatura elevada, facilitando sua dobragem.

VINCO
1. Sulco pressionado na capa de um livro durante a encadernação.
2. Linha pressionada ao longo do eixo de dobra de uma folha de papel ou cartão, a fim de facilitar a dobragem.

VINHETA
1. Pequena ilustração colocada em um anúncio ou trabalho gráfico.
2. Filete ornamental empregado na composição tipográfica para separar o título do corpo da matéria ou do texto.

VIÚVA
Primeira linha de um parágrafo que fica sozinha no fim de uma coluna. É um defeito estético de paginação que deve ser evitado.

VOLANTE
Pequeno folheto, bem simples, de uma página. (Ver Folheto e Panfleto.)

VOLUME
Obra impressa com mais de 100 páginas.


 
 
  W ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


WORKSTATION

Conjunto de computador, video, cpu, scanner e outros acessórios que operam programas gráficos de editoração eletrônica para a preparação de anúncios, cartazes e outros materiais gráficos pela agência, estúdio ou fornecedor de artes gráficas. Base operacional dos sistemas de DTP.

WYSIWYG

(What You See Is What You Get; "O que você vê é o que obtém")
1. Slogan dos programas de DTP modernos, que exibem na tela o material de forma a imitar a sua aparência quando impresso.
2. Gíria para "o que você vê é o que você quer", se refere a imagens de tela precisas para impressão. Resultado do interface o Gráfico da Xerox.

 

 
 
  X ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


X-HEIGHT

Altura de qualquer letra de caixa baixa, sem contar com as hastes ascendentes e descendentes, e tipificada pela altura de "x" (mas que inclui as alturas de a, c, e, i, m, n, o, r, s, u, v, w, z).

XEROGRAFIA
Processo de impressão na qual o papel da tinta é feito por um pó seco (toner) que é atraído eletrostaticamente para as áreas de interesse. É a mesma tecnologia usada em copiadoras e impressoras laser.

XILOGRAFIA
1. Caracteres tipográficos gravados em madeira.
2. Gravura em madeira.
3. Arte de gravar em madeira.


 
 
  Y ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


YELLOW

A segunda cor da sigla CMYK: Quadricromia

 

 
 
  Z ................. ....... ..... .... ... .. . . .
 


ZINCOGRAFIA
1. O mesmo que fotogravura a traço.
2. Processo de impressão litográfica em que as pedras calcárias são substituidas por chapas de zinco.

ZIP
Formato de compactação de arquivos mundialmente adotado.

ZIP Disk
Formato de mídia de computador, permitindo se gravar em duas capacidades, de 100Mb ou 250Mb, em uma espécie de disco removível.

ZOOM ou ZUM
Existem dois tipos. Zoom óptico é o zoom mecânico feito pela lente da câmera, que aproxima o objeto a ser fotografado. O "zoom digital" interpola os pixels provenientes do CCD da câmera; não é um zoom real, causando degradação por perda de detalhes ou serrilhamento.


 



Glossário de DTP e termos usados na Produção Gráfica
http://www.lightseed.com.br/glossario/

Dicionário do DTP
http://www.terra.com.br/macmania/macmania/resenhas/resenhas_dtp.htm


FERNANDES, Amaury. FUNDAMENTOS DE PRODUÇÃO GRÁFICA
Para quem não é Produtor Gráfico
Livraria Rubio, 2003

ROSSI FILHO, Sérgio. GRAPHOS
Glossário de Termos Técnicos em Comunicação Gráfica.
Cone Sul, 2001.